Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Não é este o primeiro conflito entre empresas, mesmo com a dimensão de uma Daimler, nem será o único. A Nokia ainda possui uma série de patentes relativas a sistemas de sincronização de telemóveis com soluções de infoentretenimento e de comunicação instalados em veículos. A Daimler terá violado as patentes dos finlandeses e estes recorreram a um tribunal alemão para repor a situação. O que conseguiram.

O assunto não vai terminar aqui e, para já, o construtor alemão informou que vai apelar da decisão. A BMW e a Volkswagen tiveram discussões similares com a Nokia no passado, mas todos esses confrontos terminaram em acordos amigáveis fora do tribunal, com ambos os grupos a pagar para utilizar as licenças da marca finlandesa. No caso da Daimler, a Nokia parece ter feito questão em avançar directamente para um processo legal, muito provavelmente devido a questões anteriores entre ambas as empresas.

Há cerca de um ano, a Daimler apresentou uma queixa junto da Comissão Europeia, a propósito de patentes de telecomunicações. Tentavam os alemães que os standards das comunicações móveis fossem acessíveis a todos os construtores “em condições justas e sem discriminação”. A Nokia defendeu-se, acusando a casa-mãe da Mercedes de “apenas não querer adquirir as licenças de que necessitava”. Deverá ter sido esta anterior troca de argumentos que fez acelerar a actual disputa directamente para o tribunal.

Depois da vitória, a Nokia pode agora exigir que a Mercedes pare com as vendas dos seus modelos equipados com os sistemas que recorrem a patentes da companhia finlandesa. Isso implicaria abrir um outro processo e depositar 7000 milhões de euros, para poder compensar a Daimler caso a decisão judicial lhe fosse favorável. Em alternativa, o mais provável é que a Nokia aceite uma compensação.

A margem de manobra da Daimler ficou igualmente mais reduzida após o juiz ter decidido que a Nokia não era obrigada a fornecer “em condições razoáveis” à Bosch e à Continental, fornecedoras de sistemas electrónicos à Daimler e a muitos outros construtores.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR