Mais cinco migrantes morreram quando tentavam chegar às Canárias, arquipélago espanhol situado ao largo da costa noroeste africana, elevando para 20 o número de mortes registadas numa semana nesta perigosa rota migratória, anunciaram esta sexta-feira as autoridades espanholas.

Segundo indicou o serviço de salvamento marítimo espanhol, as equipas de socorro e de patrulhamento do país localizaram um total de 141 migrantes em áreas do mar Mediterrâneo e do oceano Atlântico nas últimas 48 horas.

Durante este período, uma das operações de salvamento realizadas incluiu uma embarcação de madeira localizada a cerca de 110 milhas a sul do arquipélago das Canárias, com 12 sobreviventes e quatro corpos a bordo.

Autoridades espanholas encontram embarcação com corpos de migrantes junto às Canárias

Dois dos sobreviventes foram retirados da embarcação de helicóptero e um deles acabou por morrer mais tarde no hospital, de acordo com o executivo regional das Canárias.

Esta semana, os corpos de outros 15 migrantes já tinham sido encontrados pelas autoridades espanholas junto a este arquipélago. Uns estavam a bordo da embarcação que teria como destino as Canárias, outros foram encontrados a flutuar na água.

As autoridades espanholas acreditam que esta embarcação em questão poderá ser uma embarcação que foi dada como desaparecida, após ter zarpado da Mauritânia no passado dia 15 de agosto com cerca de 40 pessoas a bordo.

A rota da África Ocidental em direção às Ilhas Canárias é conhecida por ser extremamente perigosa, mas nos últimos tempos tem atraído cada vez mais migrantes que desejam chegar ao território europeu. A pressão exercida pelos países abrangidos pelas rotas migratórias do Mediterrâneo, nomeadamente com o bloqueio de embarcações, também tem contribuído para o aumento do fluxo nesta via.

O Ministério do Interior de Espanha informou na quarta-feira que as Canárias tinham recebido, durante o corrente mês, 312 migrantes e que entre 115 e 117 pessoas tinham sido dadas como mortas ou desaparecidas quando tentavam chegar a estas ilhas.

Durante este ano, 3.448 migrantes em 144 barcos chegaram a este arquipélago, acima dos 556 totalizados em igual período do ano anterior, indicou ainda o ministério na quarta-feira.

Na quinta-feira, as autoridades regionais das Canárias exigiram que o governo central espanhol disponibilize mais meios para o acolhimento dos migrantes irregulares que estão a chegar ao território.

O serviço de salvamento marítimo espanhol divulgou também esta sexta-feira o resgate de 12 migrantes de origem magrebina, informando que o grupo tentava chegar às costas espanholas através das águas do estreito de Gibraltar, que liga o mar Mediterrâneo com o oceano Atlântico.

Os migrantes resgatados, 10 homens e duas mulheres, apresentavam aparentemente um bom estado de saúde e foram transportados para o porto da cidade de Algeciras, na província de Cádiz (sul de Espanha).