Com o país a registar há três dias consecutivos um número de novos casos abaixo dos 200, a região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) parece caminhar em sentido contrário ao registar um aumento do número de novos casos ao longo, precisamente, desses três mesmos dias.

No domingo, a região de LVT teve apenas mais 47 novos casos, na segunda-feira registou 63 e esta terça-feira atingiu as 116 novas infeções — quase o dobro face ao dia anterior. A região onde fica a capital do país concentra, assim, 60,4% das novas infeções registadas em todo o país nas 24 horas até à meia-noite desta terça-feira. É a percentagem mais alta dos últimos seis dias.

Lisboa não tinha mais de 60% dos casos desde 19 de agosto, dia em que registou 62,9% dos casos: desde então a percentagem tinha-se mantido entre os 32,4% e os 58,4%.

Numa visão mais geral, Portugal registou na últimas 24 horas mais quatro vítimas mortais e mais 192 infetados, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) É o terceiro dia consecutivo em que o número de infeções está abaixo dos 200. Há também uma descida ligeira no número de mortes em relação a esta segunda-feira, quando se registaram cinco mortes.

No total, Portugal contabiliza agora 1.805 vítimas mortais e 55.912 doentes com Covid-19 desde o início da pandemia.

Há oito dias que novos casos não eram tão baixos, mas número de mortos é o mais alto em seis dias

Três dos quatro mortos foram registados em Lisboa. Só uma das vítimas mortais é mulher

À semelhança do que tem acontecido, é novamente a região de LVT a registar a maioria dos mortos. Do total de quatro novas vítimas mortais desta terça-feira, três dizem respeito à região de Lisboa e a quarta ao Norte. Ainda assim o Norte continua a ser a região onde morreram mais pessoas desde o início da pandemia: 846, face às 652 de LVT.

Do total de vítimas mortais das últimas 24 horas, três eram homens e uma era mulher. Desde o início da pandemia já morreram 910 homens e 895 mulheres por Covid-19. O cenário inverte-se quando se olha para os casos: houve mais mulheres infetadas (30.761) do que homens (25.151).

Número de internados é o mais elevado dos últimos cinco dias. Recuperados passam os 41 mil

O boletim da DGS revela também que mais 141 pessoas recuperaram da doença nas últimas 24 horas — o que faz aumentar o número de recuperados total para 41.021. Há três dias que o valor de recuperados não era tão alto: no dia 22 tinha havido 179 recuperados, mas desde então o número tinha vindo a descer progressivamente.

Há também mais quatro doentes que foram internados nas últimas 24 horas. Em contrapartida, três doentes deixaram os cuidados intensivos no mesmo período. Há seis dias que não havia tantas pessoas internadas como as que estão hoje: no dia 20, estavam 334 internadas, mas o número baixou nos dias seguintes — até hoje, data em que há 325 pessoas internadas.

Norte tem subida mais baixa dos últimos 11 dias. Alentejo ultrapassa o Centro no número de novos casos

O Norte ultrapassou a barreira dos 20 mil casos de infeção desde o início da pandemia. Nas últimas 24 horas, houve mais 49 novos casos — o que fez subir o total de infeções para 20.021 desde sempre. A região concentra assim 25,52% dos novos casos diários nacionais — há 12 dias que estas percentagem não era tão baixa.

À semelhança do que já tinha acontecido no passado dia 17 de agosto, o Alentejo voltou esta terça-feira a ultrapassar a região Centro no número dos novos casos diários. O Alentejo tem assim mais 11 infeções, enquanto o Centro tem mais oito. A última vez que este cenário aconteceu foi há sete dias, quando o Alentejo tinha registado 13 novos casos e o Centro seis. Desde então o Centro tem estado sempre à frente do Alentejo — até esta terça-feira.

Quanto às ilhas, a Madeira registou mais um novo caso de infeção nas últimas 24 horas, depois de ter estado os últimos dois dias sem novos casos. A Madeira já teve 141 casos desde o início da pandemia. Já os Açores tiveram mais dois novos casos — menos um do que no dia anterior — o que faz subir para 204 o número total de infeções desde sempre.