O arquipélago Fernando de Noronha, no Brasil, vai reabrir a partir de 1 de setembro para os turistas, depois de ter estado durante cinco meses encerrado devido à pandemia. Mas, numa primeira fase, há um requisito obrigatório: só quem já teve Covid-19 pode entrar nas conhecidas ilhas brasileiras.

“A retomada do turismo em Fernando de Noronha será por etapas, com todos os cuidados para garantir a segurança de todos. Neste primeiro momento, apenas quem já teve diagnóstico positivo para Covid-19 terá acesso ao arquipélago”, informa a página da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade e do governo do Estado de Pernambuco, dedicada ao arquipélago.

O aviso aos visitantes de Fernando de Noronha

Para isso, quando for feito o pagamento da Taxa de Preservação Ambiental (TPA), que também é obrigatório, é preciso anexar um comprovativo de que já teve a doença, como um teste PCR positivo com, pelo menos, 20 dias, ou um teste serológico que prove a existência de anticorpos contra o vírus, explicou Guilherme Rocha, administrador do arquipélago.

Quando chegarem a Fernando de Noronha, os turistas recebem uma pulseira de identificação, sendo que apenas podem circular sem restrições depois de cumprirem um período de quarentena ou quando tiverem um teste negativo feito na ilha. “Antes do embarque, todos devem apresentar resultado negativo em exame feito no continente, na semana da viagem”, segundo o governo de Pernambuco.

A decisão de reabrir por etapas está ligada com o “risco de uma nova onda de contágio no arquipélago”. Mas não foram explicadas as razões para só que só seja permitida a entrada a quem já teve Covid-19.

É que não é certo que quem já teve a doença esteja imune. Na semana passada, foi anunciado o primeiro caso de reinfeção de um paciente de Hong Kong que, quatro meses depois de ter sido dado como curado voltou a ser infetado com uma estirpe diferente do vírus. Entretanto, surgiram também relatos de reinfeções na Bélgica e nos Países Baixos.

Não produzimos anticorpos suficientes? E a vacina será eficaz? 13 respostas sobre os primeiros casos de reinfeção

O arquipélago, conhecido pelas águas cristalinas e a areia dourada, está fechado desde meados de março devido à pandemia. Reabriu em junho para quem tivesse casa no local.

Ao todo, desde o início da pandemia, em Fernando de Noronha já foram detetados 93 casos de infeção com Covid-19.