Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O problema ganha outra escala quando se aproxima a época do verão, mas as críticas relativas à falta de meios, soluções e apoios surgem durante todo o ano. Os incêndios florestais continuam a ser tema de conversa e a atingir o país todos os anos, sendo que cada vez mais a tecnologia tem tentado intervir no combate a este problema. Para Jorge Antunes, diretor da equipa da Hitachi Vantara para a região da Europa, Médio Oriente e África, há um pensamento que precisa de se tornar prioridade: o trabalho “tem que ser feito muito antes de chegar esta época [de incêndios]” e, para isso, também a tecnologia pode ajudar.

Foi a pensar nisto que a equipa da Hitachi Vantara — o braço nacional da gigante tecnológica Hitachi, que se dedica ao tratamento de dados — começou a desenvolver uma solução para ajudar proprietários, empresas e outras entidades a resolver a questão a limpeza das matas e terrenos (que não só contribui para a propagação de incêndios como é também uma obrigação legal em Portugal). Como? Através de uma análise detalhada de imagens satélite recolhidas pela Agência Espacial Europeia, que permite identificar as zonas que precisam de ser limpas e as que podem constituir um foco de incêndio devido às suas características.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.