Ronald Koeman chegou ao Barcelona na sequência da goleada histórica sofrida pelos catalães às mãos do Bayern Munique e começou a arrumar a casa desde o primeiro dia. Messi ficou, depois de algumas semanas de novela em que chegou a parecer que o dia em que o argentino deixa o Camp Nou estava marcado para 2020, mas as saídas multiplicam-se. Rakitic já está no Sevilha, Vidal vai para o Inter, Nélson Semedo deve reforçar o Wolverhampton, Umtiti é transferível e Todibo também está nas placas de saída, num negócio onde o Benfica é um dos interessados. Pelo meio, surge Luis Suárez — que está a um passo de trocar Barcelona por Madrid.

Segundo a imprensa espanhola, o avançado uruguaio rescindiu contrato com o Barcelona durante a manhã desta segunda-feira e vai sair a custo zero, sendo o destino mais que provável o Atl. Madrid. Suárez chegou a estar praticamente confirmado na Juventus mas o diretor desportivo dos italianos, Fabio Paratici, confirmou este fim de semana que o avançado não terá o passaporte pronto a tempo do fecho do mercado e que, por isso mesmo, não poderá reforçar a equipa de Andrea Pirlo. Fechada a possibilidade de rumar a Turim, Suárez passou a olhar para as soluções dentro de Espanha — e os colchoneros parecem agora estar na linha da frente para a contratação do avançado de 33 anos.

De acordo com a Marca, o Atl. Madrid vai oferecer dois anos de contrato ao uruguaio e um salário de nove milhões de euros por ano — inferior aos 15 milhões que recebia na Catalunha. Ainda assim, e apesar de se tratar de uma contratação a custo zero, o clube de João Félix terá de esperar pela confirmação do empréstimo de Morata à Juventus para fechar a transferência de Suárez. Isto porque só com a eliminação do salário do avançado espanhol da folha orçamental será possível encontrar fundo de maneio para pagar ao internacional uruguaio. O negócio será, possivelmente, um fator de discórdia no interior do Atl. Madrid, já que a cúpula do clube terá anunciado há alguns dias que está a preparar-se para cortar salários.

A confirmar-se, Luis Suárez deixa o Barcelona ao fim de seis temporadas em que marcou 198 golos e conquistou quatro ligas espanholas, quatro Taças do Rei e uma Liga dos Campeões. A saída do avançado uruguaio confirma também o fim de capítulo orquestrado por Koeman em Camp Nou: o treinador holandês quer continuar a ter em Messi o líder da equipa mas afastou nomes que há anos faziam parte da identidade catalã, como Rakitic, Vidal e Suárez. Entradas, para além de Trincão e do regresso de Philippe Coutinho, só mesmo Pjanic, que chegou envolvido no negócio que levou Arthur para a Juventus.