Foram adiados para o próximo ano os cortes nas portagens das autoestradas do Interior e no Algarve, noticia esta terça-feira o Jornal de Notícias (JN). O Ministério das Finanças está a estudar o impacto desta medida na economia do país e tendo em conta a crise desencadeada pela pandemia de Covid-19.

São oito as autoestradas onde vão ser implementados estes cortes: A28 (Porto-Viana do Castelo), A4 (Porto-Vila Real), A24 (Viseu-Chaves), A25 (Aveiro-Viseu), A23 (Castelo Branco-Covilhã), A13 (Coimbra-Torres Novas), A22 (Via do Infante) e A41 (Circular Regional Exterior do Porto).

Jorge Delgado, secretário de Estado das Infraestruturas, explicou ao JN que “quem usar mais as autoestradas terá mais vantagens e uma maior redução na taxa de portagem”. É este o modelo que a Unidade Técnica do Ministério das Finanças estará a avaliar neste momento.

De acordo com o que havia sido estabelecido em conselho de ministros em fevereiro, os carros das classes 1 e 2 teriam um desconto de 20% no valor das portagens entre o oitavo e 15º dia de utilização; e de 40% se utilizassem a autoestrada por 16 dias seguidos.

Estas regras foram simplificadas, mas ainda não se sabe como são agora. Além disso, os descontos não devem ser todos iguais nas oito autoestradas incluídas nesta redução; nem os beneficiários devem ser os mesmos, aponta o JN: numa autoestrada podem ser os veículos ligeiros, noutra os de transporte de mercadorias, por exemplo.