Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vão sair da estrutura do Montepio “entre 600 e 900” pessoas – é este o “intervalo máximo indicativo” que é estimado pela gestão do banco. A informação está numa carta conjunta assinada por Carlos Tavares (chairman) e Pedro Leitão (presidente executivo) que foi enviada aos colaboradores esta sexta-feira, cerca de 24 horas depois de o Observador noticiar que tinham sido enviados planos ao Banco de Portugal no sentido da redução estimada de 804 colaboradores.

Os dois responsáveis garantem que “não existem listas de pré-seleccionados” e que se “pretendendo um processo esclarecido e transparente, baseado no acordo entre as partes”. “Este programa será apresentado formalmente a todos os colaboradores no dia 6 de outubro estando actualmente em fase de consulta com os parceiros sociais e estruturas representativas dos trabalhadores”, acrescenta o documento.

Montepio. 804 saem por reforma e mútuo acordo. Bancários recebem 67 mil euros cada um, em média

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.