38 anos. Desde 1982/83, com Sven-Göran Eriksson, que o Benfica não ganhava os cinco primeiros jogos do Campeonato. Jorge Jesus, que nunca tinha conseguido vencer as cinco jornadas iniciais de uma Liga em toda a carreira, igualou o feito do treinador sueco e ainda conseguiu bater outros dois registos. Há dez anos que os encarnados não marcavam pelo menos 15 golos nas primeiras cinco partidas e há 11 que não apontavam mais de 20 nos primeiros sete encontros oficiais da época.

Darwin, o empregado da semana que cumpre a teoria do ketchup (a crónica do Benfica-Belenenses SAD)

Pelo meio, com a vitória desta segunda-feira frente ao Belenenses SAD, o Benfica tornou-se a única equipa das cinco principais ligas europeias que ainda não perdeu pontos no Campeonato — graças ao empate do AC Milan com a Roma em Itália — e segurou a liderança isolada da classificação com mais cinco pontos do que FC Porto e Sporting.

Tudo somado e o Benfica venceu seis dos sete jogos oficiais que fez esta temporada: incluindo uma goleada (Famalicão), quatro vitórias por dois golos (Belenenses SAD, Lech Poznan, Rio Ave, Moreirense) e outra pela margem mínima (Farense). O dia do clube, ainda assim, ficou principalmente marcado pelo comunicado de Bernardo Silva, jogador do Manchester City, que foi muito crítico em relação à administração de Luís Filipe Vieira e deixou subentendido um apoio a João Noronha Lopes a dois dias das eleições. Na conferência de imprensa, questionado sobre o assunto, Jorge Jesus comentou o assunto, arrasou Bernardo e falou sobre a ainda polémica saída do internacional português da Luz, há cinco anos.

“O Benfica merece e precisa de uma mudança”. Bernardo Silva critica Vieira e fala em “esquemas”, “mentiras” e “assalto aos cofres do clube”

“Ele tem-se metido comigo desde há muitos anos. Comigo, tudo bem. Agora, com o presidente? Com o presidente do clube que o ajudou a crescer, que continua a dar possibilidades aos jovens de sair para clubes melhores, como aconteceu com ele? É uma ingratidão muito grande. Um homem pode ter muitos defeitos mas o pior que pode ter é ser ingrato. Por muito que possa ter uma ideia diferente, não pode ser ingrato”, começou por dizer Jorge Jesus, revelando depois aquilo que diz ser a verdade sobre a saída de Bernardo Silva do Benfica, há cinco anos.

“Ele tem-se aproveitado muito. Dava-me umas picadas, uma facadas, sobre isso de ter sido lateral esuqerdo. Já que falamos nisso e que já passaram muitos anos, vamos falar do Bernardo Silva. Eu era treinador do Benfica e fui eu que subi o Bernardo à equipa principal. Fomos fazer digressão por vários países e quando chegámos a Portugal ele veio ter comigo e perguntou-me que ideias tinha sobre ele. Disse-lhe: ‘Então, tu subiste, subiste à equipa’. Ele disse: ‘Quero saber se jogo’. ‘Jogas? Explica-me lá, sai o Nico [Gaitán] e jogas tu? Sai o Salvio e jogas tu? O que queres que faça?’. E ele disse que tinha a possibilidade de sair para o Mónaco com um contrato 20 vezes maior, que tinha de ajudar a família, e disse-lhe para falar com o presidente. Esta é a verdade, ele está a ouvir-me e vai dizer que isto é verdade. Não é ter sido lateral esquerdo. E estou a contar porque ele foi ingrato com o presidente do Benfica”, terminou o treinador, visivelmente exaltado.

Bernardo Silva sobre Jorge Jesus, Mbappé e a inteligência que é “o mais importante no futebol”

Sobre o jogo em si, Jesus disse ter sido um “objetivo alcançado”. “Além da vitória, há que realçar outro pormenor importante, que foi não sofrer golos. Defrontámos uma equipa bem organizada defensivamente, que esperou pelo contra-golpe e pela bola parada. Nunca demos essa hipótese, voltámos a estar bem defensivamente. A qualquer momento do jogo a equipa do Benfica consegue marcar, é muito forte a sair. Fizemos dois golos, podíamos ter feito mais um ou outro”, explicou o treinador encarnado, que garantiu desde logo que vai voltar a mexer na equipa na quinta-feira, contra o Standard Liège, devido à “fadiga acumulada”.