O BE adiantou na quarta-feira que o Governo “não tem novas propostas ou respostas a apresentar” na reunião que pediu para quinta-feira sobre Orçamento do Estado para 2021, sendo esta para consultar a posição bloquista em votações na especialidade.

Na quarta-feira, no Palácio de Belém, após ter sido recebido em audiência pelo Presidente da República, o secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, anunciou que o Governo iria retomar na quinta-feira as negociações com os partidos à esquerda sobre o Orçamento do Estado para 2021, nomeando em concreto o Bloco de Esquerda.

À agência Lusa, fonte do BE, adiantou que a reunião foi pedida pelo secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, “mantendo que o Governo não tem novas propostas ou respostas a apresentar”.

A reunião é apenas para consulta sobre o posicionamento do Bloco em diversas votações na especialidade”.

Depois deste anúncio de José Luís Carneiro, o Governo confirmou, à agência Lusa, que na quinta-feira terá uma reunião com o Bloco de Esquerda sobre o Orçamento, mas considerou não haver ainda expectativas de mudança de posição dos bloquistas, que votaram contra a proposta na generalidade.

Teremos uma reunião de trabalho com o Bloco de Esquerda antes de começar [na sexta-feira] o processo de discussão do Orçamento do Estado para 2021 na especialidade. Da parte do Governo não há qualquer expectativa em especial em relação aos resultados dessa reunião”.

Na quinta-feira de manhã, quando acontecer esta reunião entre Governo e Bloco de Esquerda sobre o Orçamento do próximo ano, o primeiro-ministro, António Costa, por sua vez, estará a participar na reunião sobre a evolução da Covid-19 em Portugal no Infarmed, em Lisboa.

Ainda de manhã, depois de um encontro com o Conselho Nacional de Juventude (CNJ), em Lisboa, a coordenadora do BE, Catarina Martins, afirmou-se disponível para conversar com o Governo sobre o Orçamento do Estado de 2021, esperando seja “o Governo e o PS a darem um passo” nesse sentido.

“Faz falta agora o Governo e o PS darem algum passo se quiserem” um “entendimento, que o BE considera muito importante”, afirmou a coordenadora bloquista.

Depois de anunciar as suas 12 propostas para a generalidade no Orçamento, que apresentou como essenciais para viabilizar as contas do executivo para 2021, não houve avanços, a avaliar pelas palavras de Catarina Martins, que, questionada por diversas vezes, não respondeu diretamente se já houve conversações com os socialistas.

A votação final global do Orçamento do Estado para 2021 está agendada para 26 de novembro.

A proposta do Governo foi aprovada na generalidade em 28 de outubro com votos a favor apenas do PS, abstenções de PCP, PAN e PEV e votos contra de PSD, BE, CDS-PP, Chega e Iniciativa Liberal.