O presidente da Associação Comercial do Distrito de Viseu mostrou-se esta quarta-feira apreensivo com as vendas deste Natal e apelou aos consumidores para que comprem nas lojas do comércio tradicional.

“As ruas de Viseu vão estar bem iluminadas, com decorações de Natal. Haverá motivos para que as pessoas andem na rua. Apesar disso tudo, estamos muito apreensivos”, admitiu Gualter Mirandez à agência Lusa.

Segundo o responsável, “quem anda no comércio sabe que há os chamados meses armazém”, sendo dezembro um deles.

Gualter Mirandez explicou que habitualmente se trabalha “mais um bocadinho em dezembro para depois compensar o janeiro e o fevereiro”, o que este ano faz “ainda mais sentido” para que os comerciantes possam aguentar até ao fim da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Quando comprarem, se comprarem, lembrem-se do comércio de proximidade, do seu vizinho que é comerciante, que também tem postos de trabalho para sustentar”.

O dirigente associativo contou que, com a pandemia a afetar o negócio desde março, “quem tem contas e (salários de) funcionários para pagar anda num desespero muito grande”.

Se, por qualquer dificuldade, o comerciante deixar de fazer um pagamento à Segurança Social ou de algum imposto, já não pode recorrer ao subsídio do Estado e isto é muito problemático”.

Gualter Mirandez garantiu que quer a Associação Comercial do Distrito de Viseu, quer a autarquia, quer os próprios comerciantes estão “a fazer o que é possível” para que as vendas deste Natal possam ajudar os negócios.

A própria Câmara, com esta medida de distribuir 25 euros em vale a cada funcionário, já está a dar uma ajuda”.

Na segunda-feira, a autarquia lançou uma campanha de promoção do comércio local, incentivando as pessoas a fazerem aí as suas compras de Natal. A Câmara dará a cada um dos cerca de mil funcionários um vale de 25 euros para usar, obrigatoriamente, no comércio local.

A associação vai realizar um concurso de montras, “com prémios bastante atrativos”, para “dar algum alento e convidar as pessoas a saírem à rua para fazerem as suas compras de Natal”, acrescentou Gualter Mirandez.

No final de outubro, o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, anunciou um plano com 32 medidas, que tem como um dos seus pilares relançar a atividade económica para manter os rendimentos.

Vamos isentar do pagamento total da derrama as microempresas e PME [Pequenas e Médias Empresas] no exercício económico de 2021 e vamos isentar o pequeno comércio do pagamento de espaço público”.

O comércio poderá também contar com “até cinco mil euros de apoio” para novas lojas que venham a abrir na Rua Direita [centro histórico], e que deverão ser cerca de 40, e as que já estão implementadas e queiram modernizar o aspeto das lojas”.