As corridas do campeonato do mundo de resistência, que inclui provas míticas como as 24 Horas de Le Mans, vão acolher um novo tipo de veículos, os Le Mans Hypercar, com o objectivo de aproximar os carros de competição dos modelos de série, de forma a reduzir os custos e a atrair mais construtores, uma vez que as grelhas de partida já foram mais concorridas. É aqui que entra a nova regulamentação, desenhada para atrair fabricantes interessados em disputar a vitória sem ter de investir verbas absurdamente elevadas, como a Aston Martin, Ferrari, Lamborghini, Peugeot e Toyota, que deverá ser a primeira a revelar o seu GR Super Sport.

O construtor japonês falou pela primeira vez desta sua aposta em 2018 e, desde então, tem vindo a trabalhar num modelo que explore as liberdades concedidas pelo regulamento. O GR Super Sport será revelado em breve (15 de Janeiro), esperando-se que a Toyota mantenha a promessa original, que passava por construir um supercarro para estrada – por regulamentação, cada marca tem de fabricar 20 unidades – à boleia do veículo de competição. Uma forma de matar dois coelhos de uma só cajadada e, simultaneamente, reduzir custos e criar uma nova ferramenta para elevar a imagem.

Até ser possível ver o novo carro de competição, o departamento de competição da marca japonesa, a Toyota Gazoo, abre-nos o apetite com o roncar do motor. Trata-se do 2.4 V6 biturbo, que deverá debitar 680 cv. O ruído surge ligeiramente abafado pela presença dos dois turbocompressores, mas além de conhecer as suas especificações, estamos igualmente curiosos em relação à forma como vai funcionar o cruzamento com o sistema eléctrico que vai ajudar o motor de combustão a gasolina.