Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Não se conhece a raça de gatos que possui Jamie Lynn Spears, a irmã de Britney Spears, mas aparentemente é uma em que a audição não é o seu forte, ao contrário do que é habitual nos felinos. E também deve ser desprovida de bigodes, pois também eles têm uma impressionante capacidade de detectar as vibrações provocadas por tudo o que os rodeia. Certo é que a jovem actriz de 29 anos, que se tornou conhecida através da série juvenil Zoey 101, já matou uma série deles, a fazer fé nas declarações da própria nas redes sociais. Ao que diz, pela ausência de ruído do seu carro eléctrico.

Apesar de a reclamação da “mana” menos famosa das Spears se aplicar a qualquer veículo eléctrico, as suas críticas estão centradas na Tesla, o construtor do seu automóvel de todos os dias. Afirma Lynn Spears que já matou uma série de gatos e a responsabilidade não é dela, que por mero acaso ia ao volante, mas sim do construtor, que produziu um carro silencioso, como são todos os eléctricos.

Esta foi a “marcha-atrás” da actriz

Segundo a imprensa local, a jovem terá escrito “Elon Musk vamos lá resolver isto, porque você deve-me um par de gatos”, assim à laia de quem fala de sapatos ou vestidos. Mas depois admitiu: “Sim, eu estou consciente que há erros envolvidos por parte do condutor, mas vamos lá colaborar para salvar umas vidas de gatos.”

Como na ânsia de acusar o fabricante a actriz admitiu ser uma “assassina” de gatos, rapidamente os frequentadores das redes sociais viraram a fúria para ela. Colocada sobre pressão, a Spears mais nova mudou de discurso, passando a alegar que, afinal, não matou gato algum. Fica a dúvida se a actriz, com um pouco mais de críticas por parte dos fãs, não negaria mesmo que alguma vez tenha possuído gatos, tal a facilidade com que se retractou da sua posição inicial.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Enquanto se desconhece se a Spears mais jovem mentiu antes ou depois, Elon Musk continua sem se pronunciar. Apesar do contacto pelas redes sociais e do vídeo divulgado pela TMZ, o responsável pela Tesla optou por não lhe responder. Os eléctricos nos EUA cumprem as normas em vigor – a NHTSA certifica-se disso –, mas a regulamentação local apenas obrigou que fosse aplicado um avisador sonoro em todos os modelos produzidos a partir de Setembro de 2020.