Ano de 2021. Chamados a escolher o novo Presidente da República, os portugueses votaram todos em Marcelo Rebelo de Sousa, que cometeu a proeza de vencer em 308 concelhos e pulverizou o recorde de Mário Soares nas eleições de 1991. Todos? Todos não. Os eleitores de 9 irredutíveis freguesias, de norte a sul do país e de entre um total de 3.092, foram às urnas e votaram noutros nomes, que não o do presidente este domingo reeleito. Mostramos-lhe quais.

Pelas terceiras eleições consecutivas, a mesa de voto da Junta de Freguesia de Morgade, no concelho de Montalegre, distrito de Vila Real, foi este domingo alvo de uma tentativa de boicote. Quando as autoridades chegaram de manhã, para dar início ao ato eleitoral, encontraram as portas fechadas a cadeado, mas rapidamente resolveram a situação e o processo decorreu sem sobressaltos — que é como quem diz que, ao longo de todo o dia, apareceram para votar 12 dos 306 inscritos na freguesia, de que fazem parte também as aldeias de Carvalhais e Rebordelo.

No final, as contas foram fáceis de fazer e revelaram a freguesia do país onde alguém que não Marcelo Rebelo de Sousa venceu com maior percentagem de votos — o que não significa, de todo, que quem ali venceu tenha recebido muitas cruzes no seu nome. Com 58,33% dos votos, Ana Gomes arrebatou a votação em Morgade — foram sete votos no total.

Justamente na freguesia ao lado, Negrões — 177 habitantes repartidos por três aldeias, de acordo com o último recenseamento —, também foi Ana Gomes a vencer a eleição, com uma percentagem de 56,94% dos votos. Foram as únicas duas localidades onde a candidata, que este domingo se tornou a mulher mais votada de sempre numas eleições presidenciais em Portugal, pôde saborear a vitória. As restantes sete freguesias, todas em Portugal continental, onde Marcelo não venceu, optaram por outras cores: João Ferreira ganhou em três, André Ventura em quatro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Álcorrego e Maranhão, no concelho de Avis; São Martinho, em Alcácer do Sal; e Pias, em Serpa, eis as três freguesias que, fazendo jus à tradição alentejana, votaram no candidato apoiado pelo Partido Comunista Português. Pelo menos nestas três localidades, João Ferreira é rei: teve 41,78% dos votos na primeira, aliás conhecida como a freguesia mais comunista do país; 52,97% na segunda e 41,61% na vila que o vinho com o mesmo nome popularizou e pôs no mapa nacional.

Já as freguesias arrebatadas pelo líder do Chega também ficam as quatro no Alentejo, alto e baixo, duas delas no concelho de Moura. Para além de ter conseguido 41,23% dos votos na Póvoa de São Miguel e 34,05% no Sobral da Adiça; André Ventura venceu ainda em Mourão, no concelho com o mesmo nome, no distrito de Évora; e na freguesia de São Vicente e Ventosa, em Elvas, no distrito de Portalegre.