Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No dia em que Lucas Miranda, de 15 anos, não regressou à instituição de acolhimento onde vivia, os responsáveis pensaram que era mais uma das suas fugas. Há apenas duas semanas a viver no Centro Jovem Tabor, em Setúbal, Lucas já tinha fugido uma meia dúzia de vezes, mas acabava sempre por ser encontrado e voltar, embora contrariado. Daquela vez, a meio de outubro, não voltou.

Desde então, foram chegando várias pistas à Polícia Judiciária sobre os seu paradeiro, mas nenhuma batia certo. Até aquela desta quinta-feira que levou a polícia a procurá-lo num descampado, dentro de um poço. Foi aqui que os agentes da PJ, auxiliados pelos sapadores bombeiros, recuperaram um cadáver impossível de identificar à primeira vista. Mas, nesta fase da investigação, acredita-se que o corpo possa mesmo ser o de Lucas Miranda e que o jovem terá sido vítima de um crime violento.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.