O vento adiou a prova de quarta para quinta-feira mas nem por isso o foco da equipa portuguesa e o principal objetivo ficou mesmo fechado: Pedro Fraga e Afonso Costa terminaram esta manhã a final A de qualificação olímpica de double scull ligeiro (LM2x) na segunda posição e garantiram presença nos Jogos de Tóquio.

Tóquio2020. Remadores Pedro Fraga e Afonso Costa na final da prova de qualificação

A embarcação portuguesa acabou a prova decisiva realizada esta manhã na cidade italiana de Varese com o tempo de 6.24,97, apenas atrás da Ucrânia (Igor Khmara e Stanislav Kovalov, 6.23,70). Rússia (6.27,16), Áustria (6.33,47), Grécia (6.34,01) e Turquia (6.36,99) falharam o apuramento direto para Tóquio, podendo ainda entrar numa última ronda que vai qualificar as duas embarcações com acesso final aos Jogos. Pedro Fraga já conta com um diploma olímpico conseguido em 2012 com Nuno Mendes, quando foi quinto da final A.

De recordar que a dupla portuguesa tinha ganho a primeira eliminatória de apuramento com o tempo de 6.30,39, que lhe permitiu uma passagem direta à prova decisiva, à frente da embarcação da Áustria (Paul Sieber e Julian Schoeberl, 6.33,11) e relegando para as repescagens a Estónia, a Rússia e a Finlândia. Na outra eliminatória, ficaram apurados de forma direta a Ucrânia (Igor Khmara e Stanislav Kovalov, 6.27,35) e Grécia (Stavros Soularikas e Antonios Papakonstantinou, 6.32,56), à frente de Turquia, Hungria e Arménia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nas repescagens, conseguiram as duas últimas vagas de apuramento para a final as duplas da Rússia (Kirill Blinovskikh e Maksim Telitcyn, 6.34,85) e Turquia (Enes Gok e Fatih Unsal, 6.36,49).

De recordar que antes já estavam apuradas 11 embarcações para os Jogos Olímpicos de Tóquio: Rep. Irlanda (Fintan McCarthy e Paul O’Donovan), Itália (Stefano Oppo e Pietro Ruta), Alemanha (Jonathan Rommelmann e Jason Osborne), Noruega (Kristoffer Brun e Are Strandli), Espanha (Rodrigo Conde e Manel Balastegui) e Polónia (Jerzy Kowalski e Artur Mikołajczewski), os sete melhores no Mundial de 2019; Argélia, via qualificação de África; e Uruguai, Chile e Venezuela, pelo apuramento do continente americano. Sobram ainda as três vagas da qualificação de Ásia e Oceânia e mais duas de um último evento de apuramento que fechará o lote de 18 equipas.