250kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Boletim DGS. Casos ativos têm maior redução diária deste mês

Mais 5 mortes e 424 novos casos no último dia. Média de casos a sete dias mais baixa do que no período anterior. Internamentos estão em queda.

i

NurPhoto via Getty Images

NurPhoto via Getty Images

Desde 30 de março que não havia um dia com uma descida tão acentuada no número de casos ativos, tanto em valor absoluto (-483 casos), como relativo (-1,9%), de acordo com os dados recolhidos dos boletins da Direção-Geral da Saúde sobre a evolução da pandemia.

Uma redução que se explica pelo elevado número de recuperações — 902 no último dia, o maior também desde esse final do mês. No total, há 24.576 casos ativos, de acordo com os dados do boletim, o valor mais baixo desde 29 de setembro.

As 902 recuperações nesta terça-feira são mais do dobro dos novos casos (424) e mortes (5), em conjunto, registadas no mesmo boletim.

Relativamente aos novos casos, ficam ligeiramente acima do valor registado no mesmo dia da semana passada (+16 ou +3,9%), mas se for levada em conta a média dos últimos sete dias, desde quarta-feira, 14 de abril, os 496 casos diários são uma redução face aos sete registos imediatamente anteriores — de 7 a 13 de abril, a média rondou os 544 casos/dia, ou seja há uma redução de 8,8%.

Ainda no boletim desta terça-feira, é Lisboa e Vale do Tejo que volta a ter o maior número de casos (153 ou 36,1% do total do país). É a segunda vez apenas esta semana que a região lidera esta tabela, depois de quatro dias consecutivos em que foi o Norte que teve mais incidências — desta vez registou 129 casos.

A seguir a estas duas regiões, seguem-se Alentejo (41), Centro (34), Algarve (28), Madeira (23) e Açores (16).

O boletim dá conta ainda de menos 25 internamentos com Covid-19 no último dia, para um total de 429 (o mesmo valor do boletim da passada sexta-feira); e menos 5 internados do que no mesmo dia da semana passada. Um número que, ainda assim, fica acima do registo deste sábado — 415 internamentos — o mais baixo desde 11 de setembro.

Há, no entanto, mais um doente em unidades de cuidados intensivos (UCI), num total de 113 camas ocupadas. É a quarta subida consecutiva (após quatro descidas seguidas), ficando, ainda assim, abaixo do mesmo dia da semana passada (-5).

O número de internados em UCI não tem conhecido grandes oscilações nas últimas semanas. Desde o início do mês, o valor mais elevado foi atingido a 2 de abril (131) e o valor mais baixo no dia 16, a passa sexta-feira (101). Desde esse mínimo — não só do mês mas desde 29 de setembro —, há mais 12 internados.

Três das cinco mortes identificadas pela DGS esta terça-feira (referentes ao dia anterior) tiveram lugar em Lisboa e Vale do Tejo (3), que inclui parte dos distritos de Setúbal, Santarém e Leiria. As outras mortes ocorreram no Norte (1) e no Centro (1).

Por idades, estão em causa duas pessoas na casa dos 60 anos (um homem e uma mulher), dois homens entre os 70 e os 79 anos e uma mulher acima dos 80.

Nos últimos 7 dias, desde o boletim de quarta-feira, a Direção-Geral de Saúde identificou 28 mortes com complicações associadas à Covid-19, menos oito do que no período imediatamente anterior.

Morreram até agora, desde que começou a pandemia, 16.951 pessoas com complicações associadas à Covid-19.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.