A embaixada de Cuba em Paris foi atacada com bombas incendiárias, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros de Cuba. O chefe da diplomacia cubana, Bruno Rodriguez, não adiantou quaisquer pormenores ao anunciar o ataque na rede social Twitter, na segunda-feira à noite, pouco antes da meia-noite local.

Fontes da chancelaria indicaram que dois cocktail molotov atingiram a parte exterior da embaixada e um terceiro caiu no interior do edifício, onde provocou um incêndio controlado por funcionários da missão. Bombeiros e polícia deslocaram-se posteriormente ao local, de acordo com a agência de notícias espanhola EFE.

Não se registaram feridos, nem danos materiais, acrescentaram as mesmas fontes.

“Considero o Governo dos Estados Unidos responsável pelas contínuas campanhas contra o nosso país que encorajam estes comportamentos e pelos apelos à violência, com impunidade, a partir do seu território”, disse Rodriguez.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Durante as últimas três semanas, as embaixadas cubanas em diferentes cidades têm sido palco de manifestações contra e a favor do Governo cubano, na sequência dos protestos que ocorreram na ilha, entre 11 e 12 de julho.

Cuba acusou o Governo norte-americano de fomentar uma campanha na comunicação social destinada a desestabilizar a nação das Caraíbas, que está a atravessar uma grave crise económica exacerbada pela pandemia da Covid-19 e pelas sanções dos EUA.