As cuidadoras brasileiras de idosos em Portugal, do movimento ‘Força’, decidiram cancelar a manifestação agendada para este sábado no Porto, contra os “falsos recibos verdes”, por respeito ao luto nacional decretado pela morte do antigo Presidente, Jorge Sampaio.

“Em virtude do luto nacional, decretado por três dias, pelo falecimento do ex-Presidente da República, Jorge Sampaio, o movimento FORÇA – Comitê de Cuidadores de Idosos considera não haver condições para levar a cabo a manifestação marcada para amanhã [sábado], dia 11 de setembro”, afirma a organização numa nota enviada à Lusa.

Na mesma nota, o movimento adianta que adere “ao luto nacional”, e que isso determina o adiamento da manifestação para uma data a definir.

As cuidadoras brasileiras de idosos tinham uma manifestação marcada para este sábado na Estação da Campanhã, no Porto, em protesto contra os “falsos recibos verdes” e falta de condições dignas de trabalho.

Cuidadoras brasileiras de idosos reclamam condições dignas de trabalho

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em declarações à Lusa, a líder do movimento, Tânia Brunello, que vive há dois anos em Portugal, disse que no sábado, após a manifestação, iriam também recolher nomes “para entrar com uma ação por falsos recibos verdes na ACT” (Autoridade para as Condições de Trabalho)

Das queixas particulares até agora apresentadas junto daquela entidade não tiveram qualquer eco.

Segundo Tânia Brunello “são milhares de mulheres espalhadas por todo o Portugal (…) cuidadoras, auxiliares de geriatria e ação direta” que a procuram “pedindo socorro, ajuda, muitas em depressão”, problemas acentuados com a pandemia, pelo que decidiram reunir-se num movimento que pretende agora levar por diante uma queixa coletiva.