Adnan Abou Walid al Sahraoui, líder do Estado Islâmico na zona do Grande Saara, foi neutralizado pelas forças francesas, comunicou esta quarta-feira à noite o Presidente francês. Emmanuel Macron não adiantou quaisquer detalhes sobre a morte de al Sahraoui, que classificou como um “grande sucesso no combate contra os grupos terroristas no Sahel”.

“Esta noite, a Nação está a pensar em todos os heróis que morreram por França no Sahel durante as operações Serval e Barkhane, nas famílias enlutadas, em todos os feridos. O seu sacrifício não foi em vão”, escreveu Macron no Twitter.

Florence Parly, ministra francesa da Defesa, considerou a morte do líder islâmico um “gole decisivo contra o grupo terrorista” e felicitou os militares e agentes que contribuíram para a “caça a longo prazo”. “A nossa luta continua”, declarou na mesma rede social.

Adnan Abou Walid al Sahraoui assumiu responsabilidade pelo ataque de 2017 na República do Níger, que resultou na morte de oito militares, quatro nacionais e quatro norte-americanos. O grupo tem sido responsável por inúmeros raptos de estrangeiros na região e acredita-se que tem ainda em sua posse o norte-americano Jeffrey Woodke, raptado da sua casa no Níger em 2016.

De acordo com a Associated Press, há várias semanas que circulam no Mali, país que faz fronteira com o Níger e uma das zonas em que o grupo terrorista opera, rumores da morte do líder. Estes não tinha ainda sido confirmados de forma oficial.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR