Final da tarde de domingo com a lua cheia a avistar-se sobre o Tejo em Marvila, na Fábrica do Braço de Prata. Este foi a hora e o local escolhido para o jantar-comício da candidata Ossanda Liber, que encabeça o movimento cívico “Somos Todos Lisboa”, tendo tido a presença de um grupo de fados, de Tonecas Prazeres e ainda do cantor angolano Bonga.

Antes do jantar comício que reuniu mais de uma centena de pessoas, Bonga ensaiava no palco de uma tenda montada no exterior da Fábrica de Prata, onde Ossanda Liber também tem a sua sede de campanha — uma sala com paredes azuis escuras com vários quadros coloridos. Com um microfone ao centro, é ali que a candidata espera celebrar no próximo domingo.

Na Fábrica de Prata, ouviam-se instrumentos, sons de microfones e um engenheiro de som a dar ordens. Começavam a chegar cada vez mais convidados enquanto anoitecia. À entrada da tenda, alguns jovens envergavam as bandeiras do movimento e davam às boas-vindas a quem chegava.

Foi apenas quando Ossanda Liber chegou que as luzes da tenda se acenderam e o jantar comício começou verdadeiramente. Cumprimentou quase todos os presentes e depois falou aos jornalistas, tendo voltado a destacar os três pilares da sua candidatura: inclusão, igualdade e amor a Lisboa. “São a nossa base do trabalho”, assume, acrescentando que a candidatura vai continuar “a insistir para os lisboetas se aperceberem que estamos no caminho para lhe darmos melhores condições e qualidade de vida”.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.