Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

O Presidente de El Salvador, Nayib Bukele, alterou a descrição do seu perfil da rede social Twitter (@nayibbukele), no último domingo, dia 19 de setembro, para “Ditador de El Salvador”. Mais tarde, alterou a descrição para “Ditador mais ‘cool’ do mundo mundial.” A frase, de tom irónico, surgiu depois dos recentes protestos da população salvadorenha, no dia 15 de setembro.

Nayib Bukele já tinha usado o seu perfil do Twitter para responder, ironicamente, a acusações de que seria um ditador. Em janeiro,  colocou uma fotografia da personagem do filme “O Ditador”, o Almirante General Haffaz Aladeen, presidente ditatorial de uma nação fictícia do Norte de África. Sascha Baron Cohen realiza o filme, e interpreta o ditador  da República de Wadyia.

As manifestações do dia 15 de setembro, que juntaram milhares de pessoas na capital do país, contestaram algumas das decisões que Nayib Bukele tomou desde que assumiu a presidência, em junho de 2019.

O seu partido, Nuevas Ideas, que detém a maioria absoluta da Assembleia Nacional do país, substituiu cinco membros da Câmara Constitucional do país. Pouco tempo depois, a Câmara Constitucional decidiu abandonar a proibição constitucional de um presidente do país poder candidatar-se a um segundo mandato, informou a Associated Press. Esta ação foi vista como uma tentativa, por parte de Bukele, de manter o seu lugar no poder, apesar de o Presidente salvadorenho não ter anunciado uma possível recandidatura ao posto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O aparente reforço da militarização do país, por parte de Bukele, foi uma das decisões contestadas pelos cidadãos de El Salvador. O presidente anunciou a contratação de 20.000 novos soldados, o que representa o dobro do tamanho do exército salvadorenho existente, de acordo com o El País.

O Presidente de El Salvador, foi, também, criticado por tornar a criptomoeda bitcoin numa das moedas oficiais do país, juntamente com o dólar americano. Nos protestos de 15 de setembro, um terminal eletrónico de bitcoin foi queimado pelos manifestantes, como se pode ver no vídeo da France 24, tendo sido o único caso confirmado de vandalismo nas manifestações, diz o El País.

Vigilância militar a juiz salvadorenho

Já o  juiz salvadorenho Juan Antonio Durán, que se opôs à reforma judicial proposta pelo Presidente, denunciou uma operação de vigilância ilegal perto da sua residência, em publicação no seu perfil na rede social Twitter.

“Por este meio denuncio, diante do povo salvadorenho, e da comunidade internacional, o assédio da Polícia Militar e da Polícia Nacional Civil, que estão à porta da minha casa”, disse o juiz. Desconheço a existência de um mandado de captura. Por enquanto, estamos bem. Ainda diz que não é uma ditadura. Não vão deter-nos.”

Juan Antonio Durán apresentou, na última sexta-feira, uma queixa contra o Estado salvadorenho à Comissão Interamericana de Direitos Humanos, por violação da independência judicial contra o Estado salvadorenho. A reforma judicial, aprovado pelo Congresso e por Bukele, prevê exoneração de juízes acima dos 60 anos, refere o jornal ABC.