Obrigado por ser nosso assinante. Não se esqueça de subscrever a nossa Newsletter exclusiva dos bastidores.

O objetivo era valorizar a forma como Portugal enfrentou a pandemia e não desvalorizar a pandemia. As explicações de Eurico Brilhante Dias foram dadas à TVI 24, à chegada a Portugal, ainda nas instalações do aeroporto. Horas antes, em França, a escolha de palavras do governante para falar da pandemia foi mal recebida pelo país, com os bastonários da Ordem dos Médicos e dos Enfermeiros a pedirem a sua demissão. Rui Rio, líder do PSD, classificou as afirmações do secretário de Estado da Internacionalização de ridículas.

“Eu vou dizer uma coisa que talvez não seja politicamente correta, nós ganhámos com a Covid-19. E ganhámos porquê? Ganhámos porque Portugal foi um país que, tendo as suas dificuldades, enfrentou a Covid-19 com bastante êxito, dentro daquilo que [foi possível]”, disse, esta quinta-feira, Eurico Brilhante Dias em declarações à RTP3, na Feira de Tecidos de Paris.

“Nós ganhámos com a Covid-19”, diz Eurico Brilhante Dias

Agora, Eurico Brilhante Dias diz que as suas palavras foram mal interpretadas. “Foram declarações que causaram um dia bastante agitado, mas cujo objetivo não era esse. Eu não respondi a uma pergunta em que me fosse perguntado se Portugal tinha ganho alguma coisa com a Covid-19. É evidente que ninguém ganhou nada com a Covid nem com esta pandemia.” O secretário de Estado explicou que respondia a uma questão centrada na perceção externa sobre Portugal e a Covid e que o objetivo era valorizar a forma como o país tem enfrentado a pandemia.

Na tarde desta quinta-feira, o secretário-geral do PS, António Costa, desvalorizou  as declarações do secretário de Estado, mas frisou que a maneira como Portugal controlou a pandemia “não é um cartaz turístico”.

António Costa diz que controlo da pandemia em Portugal “não é um cartaz turístico”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Ninguém, evidentemente, está em posição de dizer que a pandemia foi um evento positivo. Esta pandemia é provavelmente o o evento mais duro de saúde publica que tivemos durante um século”, argumentou Brilhante Dias. “Eu não vou desvalorizar, nem devo desvalorizar, e se as minhas palavras de alguma forma pareceram que estava a desvalorizar esta pandemia, de todo”, disse o governante, acrescentando que todos tiveram momentos muito difíceis durante a pandemia, de natureza pessoal e profissional.

“Lamento se não fui claro, lamento a circunstância em que estamos e que a interpretação que foi dada às minhas palavras na resposta a uma pergunta tenha sido aquela que foi. Isso lamento profundamente. Se a interpretação que fizeram das minhas palavras foi uma desvalorização da circunstância da pandemia, só tenho de lamentar e retificar”, frisou o secretário de Estado. “A forma como o país se mobilizou para enfrentar a pandemia é vista positivamente, e esse é o impacto positivo.”