O filme “Variações”, de João Maia, sobre o músico António Variações, é exibido esta quinta-feira no MoMA — Museu de Arte Moderna, em Nova Iorque.

De acordo com o Arte Institute, que promove a iniciativa, a exibição esteve inicialmente agendada para março de 2020, mas acabou por ser adiada devido à pandemia da Covid-19.

Para a diretora do Arte Institute, citada num comunicado divulgado esta quinta-feira, “esta exibição em Nova Iorque é importante em várias vertentes”. “Por um lado, dá a conhecer um ícone da música portuguesa e, por outro, abre espaço para que sejam exibidas mais longas-metragens portuguesas nos EUA”, afirmou.

“Variações”: a saga do barbeiro que queria ser cantor

“Variações” foi o filme português mais visto em 2019, com quase 280 mil espectadores.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A longa-metragem de João Maia é protagonizada pelo ator Sérgio Praia que, além da interpretação física do músico, também canta todas as canções, recriando as sessões de composição e gravação embrionária dos temas em várias cassetes — sozinho em casa com um gravador e uma caixa de ritmos — até à primeira atuação de Variações, na discoteca Trumps, em Lisboa, em 1981.

“Variações” é o filme português mais visto em 2019

Além de Sérgio Praia, o elenco inclui, entre outros, Filipe Duarte, Victoria Guerra, Augusto Madeira, Filipe Albuquerque, Lúcia Moniz, Afonso Lagarto, Maria José Paschoal, José Raposo e Dinarte Freitas.

O filme foca-se sobretudo na transformação de António Ribeiro em António Variações, num período de vida entre 1977 e 1981, a época em que um barbeiro ambicionava viver da música, gravava canções em cassetes e ensaiava com músicos amadores, muito antes de editar oficialmente qualquer canção.