Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A guionista de “Rust”, Mamie Mitchell, vai processar Alec Baldwin e os produtores do filme, acusando o ator de disparar uma arma sem verificar se estava carregada e quando não precisava de o fazer. O ator norte-americano “decidiu brincar à roleta russa quando disparou a arma sem a verificar e sem ter consultado o armeiro”.

Numa conferência de imprensa citada pela Sky News, o advogado de Mamie Mitchella argumenta que um “veterano da indústria” como Baldwin nunca devia ter confiado numa arma que lhe foi dada para as mãos por uma pessoa que não o responsável pelos adereços ou o armeiro.

Foi o diretor assistente que deu a arma ao ator e terá gritado “arma fria” — querendo dizer que não continha balas reais —, mas a a guionista que chamou a ambulância para socorrer Halyna Hutchins (que acabou por morrer na sequência do disparo) responsabiliza Baldwin, referindo que o seu comportamento, juntamente com os produtores, foi “irresponsável”. 

Adicionalmente, de acordo com Mamie Mitchell, os disparos não deviam ter acontecido em cena, sendo evitáveis. De acordo com o guião, havia apenas três cenas que Alec Baldwin devia ter gravado. A primeira focava apenas os seus olhos, uma segunda numa mancha de sangue e a terceira no coldre da arma.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Nunca me esquecerei daquilo que aconteceu no set. Continuo a reviver o disparo e o som da explosão da arma todos os dias”, desabafa Mamie Mitchell, confidenciando ainda que esta deprimida e “assustada pelo futuro”.

Chefe de iluminação de “Rust” processa Alec Baldwin e outros membros da equipa por negligência

O chefe de iluminação do filme “Rust” também processou o ator e outros membros da equipa, acusando-os de fraude nos protocolos de segurança e de manuseio indevido de armas de fogo no set de filmagens.  O técnico, que instaura assim o primeiro processo desde a morte da diretora de fotografia, afirma estar a sofrer de uma “severa angústia emocional”.