Pelo menos 27 pessoas continuam desaparecidas desde sábado após o maior vulcão da ilha de Java, Indonésia, que fez 22 mortos e dezenas de feridos, ter entrado em atividade.

O vulcão Semeru, no distrito de Lumajang, na província de Java Oriental, expeliu lava e uma coluna de cinzas que atingiu os 12 mil metros.

Milhares de pessoas fogem da erupção do vulcão indonésio Semeru

Toneladas de detritos vulcânicos cobriram várias cidades e povoações da região.

Segundo a Agência Nacional de Desastres da Indonésia, a última atualização dá conta de 51 feridos com queimaduras, sendo que 35 destes estão em estado grave, notícia a agência EFE.

Por outro lado, as equipas de socorro continuam as buscas na tentativa de encontrarem 27 pessoas que estão dadas como desaparecidas desde sábado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A mesma fonte refere que pelo menos três mil casas de habitação e 38 escolas ficaram danificadas.

No domingo, as fortes chuvas que se fizeram sentir na zona obrigaram as autoridades a suspender as operações de busca.

A chuva que atingiu a cratera do vulcão intensificou a expulsão de cinzas adensando a coluna de fumo.

Cerca de 5.200 pessoas foram afetadas pela erupção do Semeru, sendo que mais de 1.700 foram retiradas para os 19 centros de acolhimento criados.

O vulcão Semeru, também conhecido como Mahameru, verifica erupções nos últimos 200 anos sendo que se trata de um dos 129 vulcões que se encontra sob vigilância permanente no arquipélago indonésio.

Atualizada às 22h54