O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) confirmou esta terça-feira que a construção de um data center em Sines, recentemente envolvido em polémica devido ao processo judicial que envolve atuais e ex-governantes e que levou à demissão do primeiro-ministro António Costa, destruiu efetivamente pelo menos um habitat natural prioritário que é protegido por legislação portuguesa e europeia.

Em comunicado enviado aos meios de comunicação social, o ICNF explica que “levou a cabo, entre 13 e 17 de novembro, uma ação de fiscalização coordenada pelas Direções Regionais do Algarve e do Alentejo tendo em vista o apuramento da eventual destruição de habitats prioritários na zona do Data Center de Sines”.

“Na sequência da referida fiscalização, verificou-se que a condição de garantir a integridade do charco temporário identificado no primeiro parecer do ICNF, relativo à construção do primeiro pavilhão do Data Center em área fora da Zona Especial de Conservação (ZEC) da Costa Sudoeste, não foi cumprida, estando o edifício construído em cima da área identificada”, lê-se ainda no comunicado.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.