Músico

Claúdio Nunes

Tinha 32 anos e morreu de cancro. Era violoncelista dos Corvos – banda da qual fazia parte há mais de uma década. Morreu no dia 1 de janeiro, dia em que a Sociedade Recreativa em que se iniciou como músico fazia 125 anos.

Escritor

John Berger

Autor do livro “G”, com o qual ganhou o prémio Booker, e da trilogia “Into Their Labours”, o escritor e crítico de arte britânico morreu aos 90 anos, no dia 3 de janeiro. “Até sempre mestre”, disse a sua editora em Espanha, a Alfaguara, através do Facebook.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Político

Mário Soares

O Governo decretou três dias de luto nacional. Mário Soares morreu aos 92 anos, no dia 7 de janeiro, no Hospital da Cruz Vermelha, na companhia dos filhos. O ex-presidente da República estava internado desde 13 de dezembro. O Partido Socialista, que fundou, considerou que “Portugal perdeu o pai da democracia”.

Político

Guilherme Pinto

Depois de dois anos de luta contra o cancro, o presidente da Câmara de Matosinhos na madrugada de 8 de janeiro. Cinco dias antes de morrer tinha anunciado o seu regresso ao PS, que deixou em 2013 para apresentar uma candidatura autárquica independente com a qual venceu as eleições.

Médico

Daniel Serrão

Também o médico Daniel Serrão morreu na madrugada de 8 de janeiro. Tinha 88 anos. Sucumbiu a problemas respiratórios decorrentes de um atropelamento que tinha sofrido há mais de dois anos e do qual nunca chegou a recuperar. Ficou reconhecido pelo seu trabalho no campo da ética e da bioética.

Músico

Peter Sarstedt

Ainda no dia 8 de janeiro, o músico e compositor Peter Sarstedt morreu aos 75 anos, vítima de uma doença rara degenerativa contra a qual lutava há 6 anos e que o obrigou a deixar os palcos em 2010. Ficou conhecido pela música “Where Do You Go To My Lovely“, que lhe valeu o prémio Ivor Novello de melhor composição.

Jornalista

Clare Hollingworth

A jornalista britânica, correspondente de guerra, foi a primeira a dar a notícia do início da II Guerra Mundial, ao avançar com a invasão nazi na Polónia, que marcou o início do conflito. Morreu a 10 de janeiro, em Hong Kong. Tinha 105 anos.

Atriz

Maria Cabral

“Foi rosto e símbolo do Novo Cinema Português”, disse a Academia Portuguesa de Cinema, através da sua página de Facebook, onde lamentou a morte da atriz, no dia 15 de janeiro. Maria Cabral morreu aos 75 anos.

Astronauta

Eugene Cernan

A última pessoa a pisar a Lua morreu no dia 16 de janeiro. Tinha 82 anos e a notícia foi dada pela agência espacial norte-americana. Eugene Cernan foi o comandante da Apolo 17 em dezembro de 1972, a última missão lunar e um dos últimos voos daquela nave.

Ator

Miguel Ferrer

Vítima de cancro, o ator Miguel Ferrer morreu no dia 19 de janeiro aos 61 anos. Ferrer contracenava com a portuguesa Daniela Ruah na série NCIS: Los Angeles, desde 2012. “Hoje, a NCIS: Los Angeles, perdeu um membro da família que era muito amado”, afirmou o produtor da série.

Empresário

Alberto da Ponte

Foi presidente da RTP durante três anos, até 2015. Alberto da Ponte morreu no dia 21 de janeiro aos 64 anos, vítima de cancro. À data da sua morte, era consultor e presidente da mesa da assembleia-geral da Sociedade Central de Cervejas e Bebidas, empresa de que também foi presidente, entre 2004 e 2012.

Ator

Gorden Kaye

Foi René, o dono de café com um bigode característico, na série de humor “Allo Allo!” da BBC, papel em que Kaye mais se distinguiu e depois do qual interpretou poucas personagens. A sua última participação televisiva foi em 2007. Tinha 75 anos e morreu no lar onde estava internado no dia 23 de janeiro.

Atriz

Mary Tyler Moore

A atriz Mary Tyler Moore não resistiu a uma pneumonia e morreu aos 80 anos no dia 23 de janeiro. Moore tornou-se um ícone televisivo ao participar na sitcom “The Dick Van Dyke Show” e, mais tarde, criou o seu próprio programa de comédia, o “The Mary Tyler Moore Show“.

Político

Mário Ruivo

Oceanógrafo, professor, biólogo e antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, teve também um papel importante na Expo 98. Mário Ruivo morreu no dia 25 de janeiro aos 89 anos e perdeu-se um ”homem que sempre lutou para colocar o mar na esfera pública”, disse a família em comunicado.

Ator

John Hurt

O ator britânico John Hurt foi indicado para dois óscares. Recebeu o título de “Cavaleiro” da Rainha Isabel II. No mesmo ano, comunicou que lhe tinha sido diagnosticado cancro no pâncreas. Morreu aos 77 anos, no dia 28 de janeiro.

Política

Marisa Letícia

Marisa Letícia sofreu um AVC e morreu uma semana depois, a 2 de fevereiro, após lhe ter sido diagnosticada morte cerebral. Era casada com o ex-presidente brasileiro, Lula da Silva, mas teve um voz ativa na política, quer na fundação do Partido dos Trabalhadores, quer na participação em manifestações políticas.

Ator

Bill Paxton

O ator Bill Paxton ficou conhecido pela participação em Titanic, Aliens e Twister. Morreu no dia 25 de fevereiro aos 61 anos na sequência de complicações de uma cirurgia a que tinha sido submetido. Deixou dois filhos e a mulher com quem era casado há 30 anos.

Ator

Fernando Taborda

Destacou-se pelo seu desempenho em “A vida do grande D. Quixote de La Mancha e do gordo Sancho Pança”, de Antonio José da Silva, em 1991, pela Companhia Bonifrates, onde trabalhava desde 1998. Fernando Taborda, de 79 anos, morreu no dia 28 de fevereiro.

Futebolista

Raymond Kopa

A primeira lenda do futebol francês. Um dos melhores da história da modalidade. Raymond Kopa morreu no dia 3 de março. Tinha 85 anos e estava internado há uma semana. Em agosto de 2016 tinha sido homenageado no estádio Santiago Bernabéu, quando deu o pontapé de saída num jogo entre o Real Madrid e o Reims.

Músico

Chuck Berry

Considerado uma das forças impulsionadoras do fenómeno do rock and roll, o guitarrista Chuck Berry morreu no dia 18 de março. Tinha 90 anos. Deixou músicas como School Days, Sweet Little Sixteen ou Johnny B Goode e um álbum com músicas novas que não chegou a ser editado em vida.

Banqueiro

David Rockefeller

Com 101 anos, era o mais antigo membro vivo da família Rockefeller e o multimilionário mais velho do mundo. Banqueiro, filantropo norte-americano e proprietário do banco Chase Manhattan, morreu durante o sono na madrugada de 20 de março. Ajudou a família Espírito Santo a atravessar a crise pós-25 de abril.

Artista

James Rosenquist

O artista plástico norte-americano James Rosenquist, um dos pioneiros do movimento Pop Art, morreu a 31 de março em Nova Iorque. Tinha 83 anos. Deixa trabalhos em pintura, desenho, colagem, serigrafia e vídeo que estão representados em várias coleções e museus internacionais.

Política

Carme Chacón

Tinha 46 anos e sofria de síndrome do “coração invertido”. Foi encontrada morta no dia 9 de abril, no seu apartamento em Madrid, depois de ter estado incontactável desde o dia anterior. Carme Chacón foi a primeira mulher a ter a pasta da Defesa espanhola.

Professora

Maria Helena da Rocha Pereira

Foi a primeira mulher doutorada pela Universidade de Coimbra. Lá deu aulas até se jubilar, tornando-se a primeira professora catedrática. Considerada a mais reputada especialista portuguesa em Estudos Clássicos, Maria Helena da Rocha Pereira morreu aos 91 anos, no dia 10 de abril.

Artista

Alberto Carneiro

Tinha 79 anos. O artista Alberto Carneiro morreu, no Hospital de S. João, onde estava internado, a 15 de abril. Foi um dos nomes que “abriram novos caminhos para a prática artística em Portugal”, na segunda metade do século XX, participando nas Bienais de Veneza e de S. Paulo e outras exposições internacionais.

Padre

Joaquim Carreira das Neves

Joaquim Carreira das Neves era um dos mais influentes teólogos portugueses. Autor de obras ligadas aos estudos bíblicos e investigações sobre Jesus e a Cristologia das primeiras comunidades cristãs, o padre morreu a 28 de abril. Tinha 83 anos.

Jornalista

Armando Baptista Bastos

Morreu a 9 de maio com 83 anos. O jornalista e escritor português Armando Baptista Bastos escreveu em alguns dos mais importantes jornais e revistas em Portugal. Começou no jornal O Século e foi nomeado com 19 anos subchefe de redacção d’O Século Ilustrado.

Músico

Chris Cornell

Chris Cornell foi encontrado morto no seu quarto de hotel, na noite de 17 de maio. A autópsia confirmou que cometeu suicídio. Iniciou a sua carreira nos anos 80, quando formou os Soundgarden – grupo que ganhou dois Grammy. Lançou cinco álbuns a solo e gravou um tema para o filme de James Bond.

Jornalista

Gilberto Ferraz

Morreu em Londres, a 19 de maio, onde vivia desde 1965 – quando se mudou após receber um convite para trabalhar na secção portuguesa da BBC. Foi o primeiro não britânico a ocupar o lugar de presidente do sindicato Association of Broadcasting Staff. O jornalista e escritor Gilberto Ferraz tinha 83 anos.

Piloto

Nicky Hayden

Campeão mundial de MotoGP em 2006, Nicky Hayden morreu no dia 22 de maio. Estava internado há cinco dias, depois de ter sido atropelado por um carro enquanto seguia de bicicleta. Ao longo da sua carreira competiu em 218 corridas, com três vitórias e 28 subidas ao pódio.

Ator

Roger Moore

Um dos atores mais reconhecidos que representaram o papel de James Bond, morreu a 23 de maio, na Suíça, vítima de cancro. Sir Roger Moore tinha 89 anos. Era embaixador da boa vontade da Unicef desde 1991 e tornou-se “Sir” em 2003, distinguido pela Rainha Isabel II.

Jornalista

Miguel Urbano Rodrigues

No dia 28 de maio, a bandeira do edifício dos Paços do Concelho foi colocada a meia-haste. No dia anterior, o jornalista e escritor Miguel Urbano Rodrigues morreu aos 91 anos. Militante do PCP, foi diretor de O Diário, chefe de redação do Avante e um dos principais pensadores da esquerda portuguesa.

Músico

Gregg Allman

Fundador da Allman Brothers Band, o teclista e vocalista Gregg Allman morreu no dia 27 de maio aos 69 anos na sua casa em Savannah, Georgia. A causa da morte não foi revelada. Sabe-se que Gregg Allman foi diagnosticado com hepatite C em 1999 e sujeito a uma cirurgia de transplante do fígado há sete anos.

Ator

Adam West

Adam West, conhecido por interpretar o papel de Batman, morreu aos 88 anos, vítima de leucemia, na noite de 10 de junho. Mais recentemente, Adam West dera a voz a um mayor com o mesmo nome na série animada Family Guy. Deixou seis filhos, quatro netos e dois bisnetos.

Jornalista

Alípio de Freitas

Alípio de Freitas ia ser homenageado no dia 17 de junho, num espetáculo com a participação de diversos artistas, a que se associou o Sindicato dos Jornalistas. O jornalista morreu dois dias antes, aos 88 anos. Ficou conhecido pelo apoio aos movimentos camponeses no Brasil.

Político

Helmut Kohl

Foi um dos maiores responsáveis pela construção da União Europeia e quem liderou a reunificação alemã quando era chanceler. Helmut Kohl morreu aos 87 anos, no dia 16 de junho, na sua casa em Ludwigshafen.

Político

Carlos Macedo

Médico neurologista, deixou de exercer medicina para se dedicar à atividade política. Carlos Macedo foi militante e dirigente do PPD desde a sua fundação e tornou-se ministro da Saúde. Morreu aos 80 anos, no dia 18 de junho, por problemas cardíacos.

Artista

Luísa Queirós

Morreu na cidade do Mindelo onde vivia desde 1975, no dia 22 de junho, e onde várias vezes disse querer morrer. A artista plástica Luísa Queirós foi condecorada com a primeira classe da Medalha do Vulcão, da República de Cabo Verde, e recebeu o Grande Prémio Gulbenkian para a literatura infantil.

Político

Miguel Beleza

Foi ministro das Finanças entre 1990 e 1991 e governador do Banco de Portugal entre 1992 e 1994. Miguel Beleza morreu na noite de 22 de junho, na sequência de uma paragem cardiorrespiratória. Tinha 67 anos. Ainda foi assistido em casa pelo INEM, mas não sobreviveu.

Político

Medina Carreira

Tinha 85 anos quando morreu a 3 de julho no hospital em Lisboa onde estava internado. Henrique Medina Carreira foi subsecretário de Estado do Orçamento em 1975 e ministro das Finanças entre 1976 e 1978. Foi ainda autor de diversos livros e programas na televisão. Era considerado o pessimista do regime.

Escritor

Daniil Granin

Autor da crónica sobre o cerco da antiga Leninegrado pelos nazis durante a II Guerra Mundial, o escritor russo Daniil Granin morreu no dia 4 de julho. Tinha 98 anos. Engenheiro de profissão, foi galardoado com as distinções máximas soviéticas e russas, entre as quais a ordem da Estrela Vermelha.

Bradley Lowery

Bradley Lowery morreu no dia 7 de julho “nos braços da mãe e do pai rodeado da sua família”, vítima de um neuroblastoma. A criança de seis anos ficou conhecido por ser fã da equipa de futebol Sunderland, aparecendo em vários jogos. Tornou-se bastante próximo do jogador Jermaine Defoe, do Bournemouth, o seu ídolo.

Empresário

Américo Amorim

Era um dos homens mais ricos de Portugal e do mundo. Tinha uma fortuna estimada pela Forbes, em 2017, de 4,4 mil milhões de dólares. Criou a a corticeira Amorim, aquela que é a maior empresa do mundo deste setor, ficando conhecido por “rei da cortiça”. O empresário Américo Amorim morreu a 13 de julho com 82 anos.

Ativista

Liu Xiaobo

O Prémio Nobel da Paz Liu Xiaobo morreu a dia 13 de julho, aos 61 anos, vítima de um cancro do fígado. Xiaobo só começou a receber tratamento médico depois de receber licença médica para poder sair da cadeia. Foi detido após participar nos protestos pacíficos de 1989 na Praça da Paz Celestial.

Ator

Martin Landau

Conhecido pelas interpretações em filmes como “North by Northwest” e pela série de televisão “Mission: Impossible”, o ator norte-americano Martin Landau morreu aos 89 anos no dia 17 de julho. Fez a sua estreia na Broadway em 1957 e o primeiro papel no cinema chegou em 1959.

Músico

Chester Bennington

Chester Bennington, um dos vocalistas dos Linkin Park– banda à qual se juntou em 1999 – foi encontrado morto na sua residência a 20 de julho – o mesmo dia em que o amigo Chris Cornell faria 53 anos. Chester Bennington tinha 41.

Ator

John Heard

John Heard era conhecido pelos papéis secundários em alguns filmes de grande sucesso como “Sozinho em casa”, onde fez de pai do protagonista, e nas séries televisivas “Sopranos” e “Miami Vice”. O corpo do ator foi encontrado pelos serviços de limpeza de um hotel, a 22 de julho. Tinha 72 anos.

Ética

Charlie Gard

Faria um ano a 4 de agosto. Morreu no dia 28 de julho. Charlie Gard foi desligado das máquinas de suporte de vida depois de uma batalha legal que se arrastou por meses nos tribunais britânicos: os pais queriam fazer tratamentos experimentais; os médicos desligá-lo invocando a ética e a lei.

Atriz

Jeanne Moreau

Ao longo de 65 anos de carreira, a atriz, cantora e realizadora francesa Jeanne Moreau ficou conhecida pela sua beleza e voz inconfundíveis. Participou em filmes como “Jules et Jim”, “Os Amantes” e “Fim-de-Semana no Ascensor”. Morreu aos 89 anos, a 31 de julho, na sua casa em Paris.

Ator

Sam Shepard

Foi considerado o mestre da dramaturgia norte-americana. O ator e dramaturgo Sam Shepard tinha 73 anos. Morreu na sua casa no dia 31 de julho, na sequência de complicações da esclerose lateral amiotrófica. Recebeu um prémio Pulitzer de Teatro e foi nomeado para o Óscar de melhor ator secundário.

Cantor

Glen Campbell

Dez prémios Grammy, mais de 70 álbuns, 12 álbuns de ouro e 75 canções que lideraram os tops norte-americanos. São os números do cantor Glen Campbell que morreu no dia 8 de agosto aos 81 anos, devido a complicações da doença de Alzheimer.

Comediante

Jerry Lewis

Jerry Lewis, o “rei da comédia” norte-americano, morreu no dia 20 de agosto aos 91 anos, na sua casa em Las Vegas. Sofria de problemas cardíacos há vários anos. Chegou a ser considerado uma das estrelas mais rentáveis de Hollywood — sobretudo na década de 50, quando fazia dupla com Dean Martin.

Realizador

Tobe Hooper

Em 1974, Tobe Hooper revolucionou o cinema de terror na altura com “Texas Chain Saw Massacre”. Também realizou “Poltergeist”, produzido por Steven Spielberg em 1982. Tinha 74 anos e morreu no dia 26 de agosto.

Atriz

Mireille Darc

Um dos ícones do cinema francês de finais das décadas de 1960 e 1970, morreu no dia 28 de agosto. Mireille Darc tinha 79 anos. Participou em meia centena de longas-metragens para o cinema, incluindo 13 com o realizador Georges Lautner. Foi distinguida com a Legião de Honra em 2006.

Desportista

Angélique Duchemin

Três meses depois de se ter sagrado campeã mundial de boxe, Angélique Duchemin morreu na sequência de um enfarte que sofreu durante um treino, no dia 29 de agosto. Tinha apenas 26 anos. Praticava boxe desde os sete anos e foi duas vezes campeã de França e campeã europeia de boxe em 2015.

Músico

Walter Becker

Walter Becker morreu no dia 3 de setembro aos 67 anos. Não foram reveladas as causas da morte, mas sabe-se que tinha sido alvo de uma intervenção cirúrgica. Foi cofundador da banda Steely Dan, que viveu o auge entre os anos 1970 e o início da década seguinte.

Empresário

Pierre Bergé

Tinha 86 anos. Pierre Bergé era o companheiro de Yves Saint Laurent, com quem fundou a marca. Morreu no dia 8 de setembro na sua casa em Saint-Rémy-de-Provence, na França. Ajudou a criar Sidaction, uma organização para angariar fundos para o tratamento e pesquisa da sida.

Ator

Frank Vincent

Conhecido pelo seu papel na série “Os Sopranos”, Frank Vincent morreu no dia 14 de setembro, depois de não ter resistido a uma cirurgia ao coração. Tinha 78 anos. Frank Vincent fez também parte do elenco dos filmes “Tudo bons rapazes”, “Casino” e “O Touro Enraivecido”.

Atriz

Fernanda Borsatti

A atriz Fernanda Borsatti morreu a 14 de setembro com 86 anos. Ao longo da carreira, passou por mais de dez companhias de teatro, incluindo o Teatro Maria Vitória, a Companhia Laura Alves, a Companhia Raul Solnado, o Teatro Maria Matos e a Casa da Comédia. Na televisão, integrou séries, sitcoms e telenovelas.

Empresária

Liliane Bettencourt

Filha do fundador da gigante de cosméticos L’Oréal, Liliane Bettencourt, foi a mulher mais rica do mundo em 2017. Tinha 94 anos. Morreu no dia 21 de setembro, em casa.

Músico

Charles Bradley

Charles Bradley, um dos maiores nomes da soul, morreu aos 68 anos, depois de um a luta de mais de um ano que travava contra um cancro. Morreu no dia 23 de setembro. Tinha dois concertos agendados para Portugal.

Empresário

Hugh Hefner

Morreu a 28 de setembro, aos 91 anos, na sua mansão Playboy, em Holmby Hills, em Los Angeles. O empresário milionário foi fundador e diretor da mais famosa revista erótica do mundo, a Playboy, lançada em 1953.

Chef

Antonio Carluccio

Era considerado o padrinho da gastronomia italiana. O chef italiano Antonio Carluccio morreu aos 80 anos no dia 8 de novembro. Era dono de uma cadeia de restaurantes de comida italiana – a Carluccio’s – com 96 restaurantes em todo o Reino Unido, fundada em 1999.

Músico

Malcolm Young

Guitarrista e um dos fundadores dos AC/DC, Malcolm Young morreu na manhã de 18 de novembro, depois de estar há vários anos a lutar contra uma demência. Tinha 64 anos. Malcolm Young era descrito como sendo “um visionário, um perfecionista e um homem único”.

Designer

Azzedine Alaïa

Considerado uma “lenda da indústria da moda”. Azzedine Alaïa morreu no dia 18 de novembro aos 77 anos, em Paris. O designer – de Alta Costura mas também de pronto-a-vestir – vestiu Greta Garbo, Grace Jones, Tina Turner, Madonna e Lady Gaga.

Ator

João Ricardo

Tinha 53 anos e sofria de um tumor cerebral, ao qual foi operado de urgência no dia 7 de outubro do ano passado, depois de se ter sentido mal durante as gravações da novela “Rainha das Flores”, da SIC. Morreu no dia 23 de novembro. Tinha 53 anos.

Jornalista

Pedro Rolo Duarte

Estava internado na unidade de cuidados paliativos devido a um cancro nos pulmões. O jornalista e radialista Pedro Rolo Duarte morreu no dia 24 de novembro. Foi fundador do semanário Independente, da revista K e do DNA. Foi diretor-adjunto do jornal Se7e, editor-geral da Visão e subdiretor do Diário de Notícias.

Empresário

Belmiro de Azevedo

O líder histórico do império Sonae, empresa da qual assumiu o controlo em 1974, morreu no dia 29 de novembro. Belmiro de Azevedo tinha 79 anos. Tinha uma fortuna avaliada pela Forbes em 1,26 milhões de euros.

Músico

Zé Pedro

“O nosso Zé Pedro deixou-nos hoje. Foi em paz”, podia ler-se na página dos Xutos & Pontapés no dia 30 de novembro. O guitarrista e fundador da banda morreu aos 61 anos. Fundou os Xutos & Pontapés quando tinha 22 anos, ao colocar um anúncio no jornal.

Escritor

Jean d’Ormesson

Vítima de um ataque cardíaco, o escritor e académico francês Jean d’Ormesson morreu no dia 5 de dezembro, na sua casa em Paris. Tinha 92 anos. Publicou mais de quarenta livros e foi diretor do jornal francês Le Figaro entre 1974 e 1977.

Músico

Johnny Hallyday

Era considerado o “Elvis francês”. Morreu no dia 11 de dezembro, vítima de cancro, aos 74 anos. Vendeu mais de 100 milhões de discos e conseguiu 18 álbuns de platina. Deixa para trás uma fabulosa colecção de carros e motos – a sua outra paixão, para além da música e do cinema.

Atriz

Heather Menzies-Urich

Morreu na véspera de Natal, vítima de um cancro cerebral. Tinha 68 anos. Heather Menzies-Urich atuou ao lado de Julie Andrews, ao representar o papel da terceira filha da família Von Trapp no filme “Música no Coração”.