Circula no Facebook uma fotografia que mostra um homem, ajoelhado em frente a um padre, momentos antes de ser fuzilado pelas forças de Fidel Castro, durante a Revolução Cubana, em 1959. Na descrição da foto, é explicado erradamente que o homem ajoelhado na imagem, a receber a extrema-unção, se trata de um camponês cubano proprietário de uma terra, que se teria recusado “a trabalhar para o regime de [Fidel] Castro”. “Foi baleado sem o direito de se defender por ordem de Che Guevara”, lê-se ainda.

O homem da fotografia não é um camponês cubano, mas sim um cabo do exército do ditador Fulgencio Batista que foi executado por ter matado os dois irmãos.

A publicação do Facebook foi partilhada em Portugal 830 vezes

A fotografia vencedora de um prémio Pulitzer — como é indicado nas publicações que circulam no Facebook — foi tirada a 17 de janeiro de 1959, pelo fotógrafo Andrew Lopez, da United Press International, uma agência de notícias norte-americana. É, na verdade, a primeira de uma série de quatro fotografias galardoadas.

No site dos prémios Pulitzer, apesar de estarem apenas disponíveis as duas primeiras imagens da série, é explicado que o homem a receber a extrema-unção é um cabo do exército do ditador Fulgencio Batista — que tinha sido derrubado duas semanas antes, a 1 de janeiro de 1959. A segunda imagem da série já mostra o homem de costas para uma parede a ser amarrado para depois ser fuzilado.

Father Domingo Lorenzo with Man About to be Executed

A fotografia original vencedora de um Pulitzer (A. Lopez/Bettmann/Corbis via Getty Images)

Um artigo da agência United Press International que conta a história da fotografia explica que o homem, Jose Cipriano Rodriguez, tinha feito parte do exército do ditador Fulgencio Batista e foi executado depois de ter sido “considerado culpado pela morte de dois irmãos”. “O seu julgamento durou apenas um minuto”, lê-se ainda.

Esse mesmo artigo publica a fotografia com a legenda original. Nela, lê-se que Jose Cipriano Rodriguez foi condenado à morte por crimes de guerra, por um tribunal militar formado pelas forças revolucionárias de Fidel Castro na cidade de Matanzas, localizada no norte da ilha. Em momento algum é referido que a execução foi uma ordem de Che Guevara.

Conclusão

Uma fotografia mostra um homem, a receber a extrema-unção, momentos antes de ser fuzilado pelas forças de Fidel Castro, em 1959. Na descrição da foto, é explicado que o homem se trata de um camponês cubano que se teria recusado a trabalhar para o regime de Fidel Castro e, por isso, foi executado por ordem de Che Guevara.

Mas o homem da imagem não é um camponês: é Jose Cipriano Rodriguez, um cabo que tinha feito parte do exército do ditador Fulgencio Batista e que foi executado depois de ter sido considerado culpado pela morte de dois irmãos.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge