Nas redes sociais está a circular a informação de que um ministro português denunciou que Portugal tem apoio para oferecer às vítimas das cheias no Rio Grande do Sul e que o Presidente do Brasil recusou esse apoio. Mas o vídeo que surge na publicação é de André Ventura, quando o presidente do Chega usou as redes sociais para criticar Lula da Silva e o governo brasileiro por alegadamente estarem a bloquear a ajuda humanitária.

É, portanto, falso que um ministro português tenha oferecido ajuda às vítimas e tenha dito que esta está a ser recusada. O que se passou foi que o presidente do Chega, que não é membro do Governo português, acusou o governo brasileiro de estar a “tentar esconder aquilo que se passa” no Rio Grande do Sul e de não permitir que chegue ajuda internacional ao país.

Ventura acusa governo brasileiro de bloquear ajuda internacional. “É falso, intenção é espalhar desinformação”, assegura Brasil

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No vídeo publicado nas redes sociais no dia 13 de maio, e cuja imagem é partilhada nesta publicação, André Ventura contou que há material de apoio recolhido em Portugal que estava “pronto a ser entregue” aos brasileiros, na sequência das cheias no Rio Grande do Sul, e que o governo do Brasil estava “a tentar evitar ajuda internacional”. “Temos 120 toneladas de material de apoio pronto a ser entregue para os nossos companheiros brasileiros e a ajuda não sai de Portugal. Está pronta, está disponível, vai-se estragar em grande parte se não for entregue, só que o governo brasileiro não quer que Portugal envie para esconder o que tem sido o seu falhanço“, realçou o presidente do Chega.

Ventura afirmou que “a TAP já se disponibilizou para enviar as coisas” e que apenas se está a aguardar que “alguém faça alguma coisa”: “Insto o Governo português e o Governo brasileiro a aceitarem esta ajuda, que será fundamental para salvar vidas, para ajudar famílias, muitas delas com crianças, com bebés e a quem não podemos virar a cara”, insistiu o líder do Chega, criticando o governo brasileiro por, segundo disse, estar a “tentar esconder a grande tragédia que muitos brasileiros estão a viver, sobretudo no Rio Grande Sul”.

Na altura, em declarações ao Observador, a Presidência brasileira recusou responsabilidades: “É falsa a totalidade do que diz em seus posts o político do Chega, cuja intenção é meramente procurar espalhar desinformação sobre a atuação do governo brasileiro.”

Os responsáveis explicam que as diferentes ofertas de ajuda são “processadas e alocadas conforme as condições específicas e as circunstâncias verificadas no terreno” e que “nenhuma oferta é recusada ou desconsiderada, sendo todas devidamente estudadas e incorporadas às possibilidades à disposição para os trabalhos de apoio às populações atingidas”.

Conclusão

É falso que um ministro do governo português tenha criticado o executivo brasileiro a propósito da ajuda humanitária que estava em Portugal alegadamente pronta para ser entregue. A pessoa que fez essas críticas foi André Ventura, presidente do Chega, que não integra o Governo português. Aliás, a própria resposta da Presidência brasileira confirma que se trata de um “político do Chega” e refere que a intenção é “meramente procurar espalhar desinformação”.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

NOTA: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge