Logo Observador
Armamento

Espanha divulga a lista de material roubado em Tancos

4.953

O Exército Português não quis divulgar a lista de material de guerra roubado em Tancos mas o jornal El Español publicou este domingo toda a informação, incluindo quantidades

A lista de material roubado em Tancos inclui 44 granadas foguete antitanque

AFP/Getty Images

O jornal El Español divulgou durante a madrugada de domingo uma lista completa do material bélico roubado dos paióis de Tancos. O Exército Português tinha optado por não divulgar a lista para não prejudicar a investigação mas o jornal espanhol teve acesso à informação e publicou não só o tipo de equipamento roubado mas também as quantidades.

Eis a lista completa:

  • 1450 cartuchos de 9 mm;
  • 22 Bobinas de fio para ativação por tração;
  • 1 Disparador de descompressão;
  • 24 Disparadores de tração lateral multidimensional inerte;
  • 6 Granadas de mão de gás lacrimogéneo CS / MOD M7;
  • 10 Granadas de mão de gás lacrimogéneo CM Anti-motim M / 968;
  • 2 Granadas de mão de gás lacrimogéneo Triplex CS;
  • 90 Granadas de mão ofensivas M321;
  • 30 Granadas de mão ofensivas M962;
  • 30 Granadas de mão ofensivas M321;
  • 44 Granadas foguete antitanque carro 66 mm com espoleta M4112A1 com lançamento M72A3 –M/986 LAW;
  • 264 Unidades de explosivo plástico PE4A;
  • 30 CCD10 (Carga de corte);
  • 57 CCD20 (Carga de corte);
  • 15 CCD30 (Carga de corte);
  • 60 Iniciadores IKS;
  • 30,5 Lâminas KSL (Lâmina explosiva)

Contactado pela agência Lusa, o Exército escusou-se a comentar a notícia do jornal espanhol.

O Exército anunciou na quinta-feira que foi detetada na quarta-feira, ao final do dia, a violação dos perímetros de segurança dos Paióis Nacionais de Tancos e o arrombamento de dois ‘paiolins’, tendo desaparecido granadas de mão ofensivas e munições de calibre nove milímetros.

Na sexta-feira, o Exército acrescentou que entre o material de guerra roubado na quarta-feira dos Paióis Nacionais de Tancos estão “granadas foguete anticarro”, granadas de gás lacrimogéneo e explosivos, mas não divulgou quantidades.

Em declarações à SIC, o chefe do Estado-Maior do Exército, reconheceu que quem roubou o material de guerra do quartel de Tancos tinha “conhecimento do conteúdo dos paióis” e admitiu a possibilidade de fuga de informação.

No sábado, o Exército anunciou que foram reforçadas as medidas de segurança nos Paióis Nacionais de Tancos e determinadas inspeções a estes paióis e aos de Santa Margarida.

Cinco comandantes demitidos na sequência do roubo de armas em Tancos

Em comunicado, o Exército referiu ainda que serão instaurados vários processos de averiguações e instaurado o sistema de vigilância eletrónica ainda em 2017.

Estas medidas acrescem às exonerações anunciadas pelo chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), Rovisco Duarte, de cinco comandantes de unidades do ramo para não interferirem com os processos de averiguações sobre o furto de material de guerra em Tancos.

O general reiterou que “pessoalmente” admite a possibilidade de ter havido fuga de informação face às “evidências” conhecidas, frisando que foram escolhidos dois paióis específicos em 20 e não eram os que estavam mais próximos da entrada.

Além da investigação conduzida pela Polícia Judiciária Militar e pela Polícia Judiciária, vai decorrer um inquérito no Exército para apuramento de eventuais responsabilidades, disse.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: afranca@observador.pt
Governo

Nunca as eleições foram tão caras

Rui Ramos
1.530

O Estado, numa evolução que culminou com o actual governo e a sua maioria, existe sobretudo para distribuir rendimentos a potenciais votantes, mais do que para proteger vidas ou garantir serviços.