Extremismo

Mário Machado, antigo líder dos Hammerskins, detido 30 horas na Suécia

1.413

O antigo líder dos Hammerskins e da Frente Nacional foi detido durante 30 horas na Suécia mal aterrou no aeroporto. O assumido extremista está proibido de se deslocar ao país nos próximos três anos.

Mário Machado esteve detido 30 horas na Suécia a 29 de setembro. O dirigente extremista está proibido de se deslocar àquele país, tendo sido deportado para Portugal.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Mário Machado, antigo dirigente da Frente Nacional e do movimento skinhead Hammerskins, esteve preso, no passado dia 29 de setembro, 30 horas na Suécia. Tendo ido àquele país nórdico para um evento ultra-nacionalista, foi detido mal aterrou no aeroporto de Gotemburgo.

Em declarações à revista Sábado, Machado afirma: “”Estive detido durante 30 horas e fui deportado de volta para Portugal, estando agora proibido de voltar àquele país durante 3 anos”. O líder extremista ainda adiantou: “Senti-me um verdadeiro preso político”.

À mesma publicação, o ultra-nacionalista assume não compreender o motivo da detenção, assumindo: “só estava a tentar viajar para outro país, aproveitando a livre circulação de pessoas dentro do espaço Schegen”. Machado, que saiu do Estabelecimento Prisional de Alcoente em liberdade condicional há seis meses, onde estava a cumprir pena por tentativa de extorsão, foi detido devido aos seus antecedentes criminais, diz fonte do processo à Sábado. Mário Machado já esteve preso por crimes como discriminação racial, coação agrava e posse ilegal de arma.

Além de Machado, outros líderes de extrema-direita de países europeus foram detidos. Mesmo com a detenção, Mário assumiu ao mesmo meio que “os dias na Suécia foram proveitosos”. “Mostrámos que o sistema se atropela a si próprio e aproveitei para estreitar relações com outros camaradas nacionalistas. Desde então, o meu novo movimento Nova Ordem Social (NOS) já foi convidado para ir a eventos nacionalistas na Alemanha e Hungria, e até já temos entrevistas marcadas”, disse à Sábado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
IPSS

Raríssimas: o Estado é parte do problema

Rui Ramos

Mais do que por uma “vida de luxo”, a direcção da Raríssimas foi atraída por uma “vida de Estado”. Libertar a sociedade deste Estado gordo e promíscuo seria um meio de a libertar das piores tentações.

Crianças

Há Natais e Natais...

Rute Agulhas

Pais, mães, avós e restante família alargada. Deixemos as crianças viver a magia do Natal. Acreditar, mesmo que seja a fingir, no Pai Natal e nas renas, e na fábrica de brinquedos, e nos duendes.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site