Estados Unidos da América

Número de mortos nos incêndios na Califórnia sobe para 31

Mais de 20 fogos permanecem ativos no estado da Califórnia e já fizeram 31 mortos e mais de mil desaparecidos. As autoridades dizem que muitos dos corpos estão reduzidos a "cinzas e ossos".

Os condados de Sonoma e Napa, conhecidos em todo o mundo pela produção de vinho, são os mais afetados

JOHN G. MABANGLO/EPA

Os devastadores incêndios que lavram desde domingo na Califórnia, nos Estados Unidos, fizeram pelo menos 31 mortos, de acordo com o mais recente balanço facultado pelo Departamento das Florestas e Proteção Contra os Incêndios.

Em conferência de imprensa, na tarde de quinta-feira, o xerife de Sonoma, Robert Giordano, indicou que só naquele condado foram encontrados 17 corpos, dos quais dez foram identificados, correspondendo a pessoas com idades entre os 57 e os 95 anos.

Robert Giordano deu conta das dificuldades no processo de identificação das vítimas, dado que foram encontrados corpos praticamente intactos, mas também outros reduzidos a “cinzas e ossos”.

O xerife de Sonoma informou ainda que foram recebidos alertas relativos a 1.100 desaparecidos, tendo sido localizadas 745 pessoas sãs e salvas.

As autoridades já tinham observado anteriormente que acreditam que muitos dos desaparecidos se encontram em segurança mas sem possibilidade de contactar familiares ou amigos dado que a rede de telecomunicações foi afetada pelos devastadores incêndios.

Os bombeiros têm vindo a conseguir pequenos e lentos progressos no combate às duas dezenas de fogos que lavram desde domingo em diferentes zonas e variam em termos de dimensão e extensão e que, no seu conjunto, consumiram mais de 77 mil hectares.

Um dos incêndios mais preocupantes foi o que deflagrou em Tubbs, dado que, nas últimas horas, se intensificou, com a área de superfície calcinada a atingir quase 14 mil hectares no condado de Napa.

O maior incêndio ativo é o de Atlas, nos condados de Napa e Solano, que arrasou perto de 18 mil hectares, e que, embora tenha permanecido estável nas últimas 24 horas, estava controlado apenas a 3%.

Além de 31 mortos e 180 feridos, as chamas no estado da Califórnia destruíram mais de 3.500 casas, estabelecimentos comerciais e outras estruturas no norte do estado até quarta-feira, levando à retirada de mais de 20 mil pessoas como medida de precaução.

À medida que os operacionais dos serviços de emergência vão penetrando em terreno calcinado, onde bairros inteiros ficaram em ruínas, aumenta o receio relativamente à existência de um maior número de vítimas.

Os condados de Sonoma e Napa, conhecidos mundialmente pela produção de vinho, são dois dos mais afetados pelos incêndios que figuram entre os mais mortíferos na história da Califórnia.

Os incêndios deflagraram na noite de domingo por causas que ainda se desconhecem e expandiram-se rapidamente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Estados Unidos da América

Os pupilos de Gingrich

Diana Soller

Que o percurso de Newt Gingrich nos sirva de lição para que não se cometam erros que se mascaram de vitórias no imediato, mas podem ter consequências importantes no médio-longo prazo.

CDS-PP

A moção e a censura de um país

José Pinto

A Constituição não limita o direito à censura por parte dos cidadãos. É a essa censura – e revolta indignada - que nenhum Governo pode fugir. Face à censura coletiva, a discussão da moção nada adianta

Incêndios

O fogo e o papel de Portugal

José Barbedo

Enquanto a ocorrência de fogos faz parte do ciclo natural das florestas, a escala dos incêndios que tem ocorrido ao longo das últimas duas décadas era totalmente desconhecida no passado.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site