Orçamento do Estado

Fenprof faz pré-aviso de greve para 27 de outubro

252

A federação junta-se à greve da Frente Comum marcada para dia 27 de outubro. Em causa está a forma como o descongelamento de carreiras previsto no Orçamento vai afetar os professores.

Mário Nogueira, dirigente da Fenprof

Manuel Almeida/LUSA

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) fez, esta sexta-feira, um pré-aviso de greve para o próximo dia 27 de outubro (sexta-feira), em protesto contra a forma encontrada pelo Governo na proposta de Orçamento do Estado para 2018 para o descongelamento de carreiras dos professores, e ainda relativamente a questões como o horário de trabalho, a aposentação e o combate à precariedade.

A Fenprof junta-se assim à greve da Frente Comum para a função pública, marcada para esse dia.

Frente Comum mantém greve para 27 de outubro

Os professores já tinham avisado que, caso o Governo não mudasse a forma como pretendem avançar para o descongelamento de carreiras no próximo ano, avançariam para formas de luta, como a greve.

Em causa está a forma como o descongelamento de carreiras previsto vai afetar os professores. Uma vez que dependem do tempo de serviço para progredir, os últimos sete anos não serão contabilizados. Na prática é como se os professores não tivessem dado aulas entre 2011 e 2017, o que faz com que, na prática, muitos não reúnam as condições para subir na carreira nos próximos anos.

O Governo quer, pura e simplesmente, apagar da vida dos professores os últimos sete anos de serviço”, afirmou ao Observador Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof que, depois de ser conhecida a proposta de Orçamento do Estado para 2018, na passada sexta-feira. Mário Nogueira disse ainda que “os professores são discriminados relativamente às carreiras da Função Pública que acumulam pontos”, lembrando, aliás, que a esses sete anos se somam mais dois anos e meio (entre agosto de 2005 e dezembro de 2007) em que também as progressões estiveram congeladas e que não foram contabilizados no caso dos professores.

Últimos sete anos não vão ser considerados para a progressão dos professores

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt
Saúde Pública

Votar o futuro da Saúde da nação

Francisco Goiana da Silva
174

Resta-nos a nós, cidadãos, esperar que quando esta medida de Saúde Pública [taxa do sal] for votada, os deputados não se esqueçam de acautelar a vontade da sociedade. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site