O Presidente dos EUA, Donald Trump, recuou em relação ao que tinha indicado que ia fazer e aprovou um pacote de 900 mil milhões de dólares de ajuda à economia em contexto pandémico. Donald Trump criticou amplamente a solução encontrada entre democratas e republicanos na semana passada, mas acabou por aprová-lo para evitar um shutdown do governo federal a partir deste domingo.

O pacote ficou-se pelo 900 mil milhões de dólares (736 mil milhões de euros), quando antes disso os valores inicialmente discutidos iam dos 1,4 aos 2,4 biliões. Donald Trump criticou particularmente esse plano por ter demasiados gastos com setores como a Defesa em vez de investir mais no envio de cheques a fundo perdido à população.

“Enquanto Presidente, disse ao Congresso que quero muito menos despesa e muito mais dinheiro a ir para os americanos sob a forma de cheques de 2 mil dólares por adulto e 600 dólares por criança”, disse num comunicado. O atual pacote prevê o envio de cheques de 600 dólares (490 euros) por adulto.

A decisão foi saudada por ambos os lados do Congresso, mas os democratas, ao contrário dos republicanos, que nesta questão estão em desacordo com o Presidente, já falam na possibilidade de um pacote mais valioso e também abrangente. A líder dos democratas na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, disse que estes 900 mil milhões de dólares eram “uma entrada” do valor total “necessário”.

“Agora o Presidente tem de apelar imediatamente aos republicanos no Congresso para pararem a sua obstrução e para se juntarem a ele e aos democratas na defesa de uma legislação independente que aumente os pagamentos diretos em cheque para 2 mil dólares”, disse Nancy Pelosi num comunicado este domingo.