O insólito aconteceu na habitual conferência de imprensa das quintas-feira a seguir à reunião do Conselho de Ministros. Um jornalista alemão questionou diretamente o ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, sobre se é habitual os governos portugueses terem “listas negra” com nomes de jornalistas com quem não se deve falar.

Isto, porque o jornalista em questão, Harald Schumann, está a fazer um documentário sobre os anos da troika para o canal franco-alemão Arte e alguns ministros, como Maria Luís Albuquerque, recusaram dar-lhe entrevistas.

“Foi-me dito que as entrevistas não eram concedidas porque a minha pessoa tinha má reputação. Posso saber por que razão disseram isto? O que se passou? É normal em Portugal haver listas negras de jornalistas com quem não se fala. Pode averiguar o que se passa?”, pediu o jornalista, que se dirigiu por duas vezes em inglês a Marques Guedes.

O ministro, visivelmente perplexo, respondeu das duas vezes que aquele assunto não era para ser tratado na conferência de imprensa. “Tem que perguntar aos ministros a quem pediu entrevistas. Não faço ideia”, começou por responder, sempre em português, acrescentando depois: “E não me parece com toda a franqueza que isso seja matéria para ser tratada nesta conferência de imprensa”. Pedia que este assunto não fosse assunto aqui”.

Segundo Harald Schumann, que trabalha para o Arte e o canal alemão ARD, o documentário sobre os anos da troika em Portugal já foi antecipadamente vendido para países como Espanha, França e Alemanha.

O jornalista estava acompanhado por um operador de câmara que filmou as perguntas e as respostas que, presumivelmente, poderão ser vistas no documentário que está a preparar.