Itália vai enviar sete aviões para a Líbia para combater o incêndio, declarado há dois dias, num depósito de combustível em Trípoli e que pode desencadear “uma catástrofe” se explodir, informou esta terça-feira o executivo líbio.

O Governo interino da Líbia explicou, em comunicado, que a petrolífera italiana ENI também vai participar no envio dos aviões e de técnicos especializados no combate às chamas nas instalações da empresa Brega, que começaram depois de terem sido atingidas por um míssil, na noite de domingo.

As instalações petrolíferas e gasíferas situam-se perto do aeroporto internacional de Trípoli, onde se confrontam, desde dia 13, milícias da cidade de Misrata e de Zintan pelo controlo da infraestrutura aeroportuária.

Dois depósitos de combustível do complexo têm 90 milhões de litros de hidrocarbonetos, o que levou as autoridades a pedir às partes em conflito um cessar-fogo para facilitar os trabalhos dos bombeiros e a evacuação da zona, num raio de três quilómetros, em redor das instalações. O incêndio ocorre num momento de grande incerteza e de crescente instabilidade em Trípoli, que levou vários países a retirar cidadãos e parte ou a totalidade do pessoal diplomático.