A agência de rating norte-americana Standard & Poor’s afirmou nesta quarta-feira que apoio do Estado português ao BES não tem impacto no seu rating para já, mas se o custo for superior ao esperado a agência diz que podem existir consequências. Num comunicado divulgado hoje, a Standard & Poor’s explica que já tinha incluído nas suas previsões para a dívida pública a expetativa da utilização de toda a parte do empréstimo da troika (12 mil milhões de euros) destinado à recapitalização do sistema bancário.

Como tal, diz a agência, o empréstimo de 4,4 mil milhões de euros ao fundo de recapitalização “não afeta o rating que atribuímos a Portugal”. No entanto, isto pode mudar. A agência tem prevista para 7 de novembro deste ano a atualização do rating de Portugal, mas poderá fazê-lo mais cedo.

“Podemos rever os ratings de Portugal mais cedo que a publicação marcada pra 07 de novembro de 2014 se o custo de apoiar o BES ou de assegurar a estabilidade financeira for materialmente mais elevado que o esperado atualmente”, diz a agência.

Se isto acontecer, acrescenta, a agência de rating vai reavaliar também os efeitos gerais do seu sistema financeiro nas perspetivas de crescimento económico de Portugal, assim como da trajetória de consolidação orçamental traçada pelo Governo.