À última hora, lá apareceram as mulheres tão esperadas por Juncker. Tanto a Polónia, como a Roménia, antevendo uma melhor pasta no próximo Executivo, trocaram os nomeados por nomeadas e com uma ajuda da Bélgica que escolheu a sua candidata no limite do prazo, perfizeram o número mínimo de mulheres para que esta Comissão passe no Parlamento Europeu. Falta ainda conhecer as pastas que cada país vai receber, mas Passos Coelho tem esperança de uma boa pasta para Portugal.

As entrevistas parecem ter corrido bem e depois de falar com todos os nomeados pelos 26 países (o presidente é do Luxemburgo e a Alta Representante para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança, cargo decidido no último fim de semana, é italiana), Juncker aprovou-os. Isto tem a ver também com o facto da comissão Juncker ter igualado o número de mulheres que a atual comissão de Barroso tem e assim assegurar o apoio dos socialistas na necessária aprovação pelo Parlamento Europeu em outubro – se isto não acontecesse, foi dito ao Observador que alguns países poderiam ter de mudar a sua nomeação, incluindo Portugal.

As pastas vão ser conhecidas na próxima semana, no dia 9 ou 10. Mesmo sem desvendar qual a pasta de Carlos Moedas (o Financial Times teve acesso a um documento em que o indicava como comissário do Emprego, informação entretanto desmentida por fontes ouvidas pelo Observador), Passos Coelho disse esta sexta-feira que espera que o portefólio traga “motivação adicional” ao país no seu esforço de “desenvolvimento e crescimento”.

“Espero que Portugal venha a ter boas razões para ficar satisfeito, mostrar a sua satisfação, com as competências que vão ser atribuídas ao comissário que indicou para a próxima Comissão”, Passos Coelho

Os nomes da equipa seguiram entretanto para Matteo Renzi, primeiro-ministro italiano e presidente do Conselho da União Europeia até dezembro. Conheça os nomes dos novos comissários:

  • Vytenis ANDRIUKAITIS (Lituânia)
  • Andrus ANSIP (Estónia)
  • Miguel ARIAS CAÑETE (Espanha)
  • Dimitris AVRAMOPOULOS (Grécia)
  • Elżbieta BIEŃKOWSKA (Polónia)
  • Alenka BRATUŠEK (Eslovénia)
  • Corina CREŢU (Roménia)
  • Valdis DOMBROVSKIS (Letónia)
  • Kristalina GEORGIEVA, (Bulgária)
  • Johannes HAHN (Áustria)
  • Jonathan HILL (Reino Unido)
  • Phil HOGAN, (Irlanda)
  • Vĕra JOUROVÁ (Republica Checa)
  • Jyrki KATAINEN (Finlândia)
  • Cecilia MALMSTRÖM (Suécia)
  • Neven MIMICA (Croácia)
  • Carlos MOEDAS (Portugal)
  • Pierre MOSCOVICI (França)
  • Tibor NAVRACSICS (Hungria)
  • Günther OETTINGER (Alemanha)
  • Maroš ŠEFČOVIČ (Eslováquia)
  • Christos STYLIANIDES (Chipre)
  • Marianne THYSSEN (Bélgica)
  • Frans TIMMERMANS (Holanda)
  • Karmenu VELLA (Malta)
  • Margrethe VESTAGER (Dinamarca)