Ray Rice, um running back dos Baltimore Ravens, foi esta segunda-feira despedido do clube e suspenso indefinidamente pela NFL depois da publicação de um vídeo onde se pode ver o atleta a agredir a então noiva num elevador, conta o New York Times. Esta história remonta a fevereiro e levaria a NFL a suspender Rice por dois jogos. Mas agora surgiu este vídeo, por sinal bastante explícito:

Rice e Janay Palmer entraram num elevador de um casino de New Jersey e bastaram uns segundos para que se desse a agressão. A noiva do atleta ficou inconsciente depois de um soco. Rice acabaria por puxá-la para fora do elevador, com uma indiferença assinalável.

Os Ravens ainda não tinham avançado com qualquer medida disciplinar contra o jogador, pelo menos publicamente, mas nesta segunda-feira, após a publicação do vídeo por parte da TMZ, comunicaram via Twitter que haviam decidido terminar o contrato do running back.

A NFL, que havia ficado mal na fotografia pela leve sanção (dois jogos) a 24 de julho, optou agora por suspender o jogador por um período indefinido. “O comissário Roger Goodell decidiu, com base numa nova prova de vídeo que se tornou disponível hoje, impor uma suspensão indefinida contra Ray Rice”, pode ler-se numa declaração da NFL. O atleta terá de recorrer para ser reintegrado.

Goodell reconheceu numa carta que cometeu um erro, ao sancionar Rice apenas com dois jogos por violência doméstica. As anteriores provas mostravam apenas imagens de um vídeo da parte de fora do elevador, não sendo assim possível ver o que se passou no interior.

Goodell deixou um aviso: no futuro, qualquer empregado da NFL, incluindo não jogadores, serão suspensos com seis jogos após o primeiro ato de violência doméstica e um mínimo de um ano em caso de reincidência. Este vídeo levantou várias questões, como por exemplo “o que sabia a Liga?” e “quando soube?”. Um porta-voz da NFL foi perentório: “ninguém no nosso escritório tinha visto até hoje.”

Mas há quem negue. Peter King, um jornalista da Sports Illustrated, escreveu em julho que a liga havia visto o vídeo no elevador e que esse facto não constou do relatório. Estas e outras questões ficaram por responder esta segunda-feira. Quem ficou satisfeita com a decisão desta segunda-feira foi Judy Harris, a diretora executiva do Santuário para as Famílias: “Os Ravens enviaram uma mensagem forte contra a violência doméstica. Era impossível ignorar ou explicar.”