O Executivo angolano aprovou quatro contratos para reabilitação e expansão de redes de abastecimento de água potável em quatro municípios do país, num valor de mais de 48 milhões de euros, obras incluídas no Programa de Investimentos Públicos (PIP).

De acordo com os quatro despachos presidenciais que autorizam estas obras, a que Lusa teve hoje acesso, as empreitadas ultrapassam os 6,1 mil milhões de kwanzas (48,2 milhões de euros).

A obra de reabilitação e expansão do sistema municipal de abastecimento de água potável à população de Ganda, na província de Benguela, vai custar de 1,5 mil milhões de kwanzas (11,9 milhões de euros) e o contrato será celebrado entre o ministério da Energia e Águas e a empresa Coger.

Ainda na província de Benguela, obra idêntica vai servir a população do Cubal, através de um investimento de 1,46 mil milhões de kwanzas (11,5 milhões de euros) a concretizar pelo consórcio formado entre as empresas ANGOLOCA e Ambiáfrica.

Na província da Huíla, as obras de reabilitação e expansão do sistema municipal prevê o abastecimento de água potável à população de Caconda, com um projeto e contrato aprovado no valor de 1,78 mil milhões de kwanzas (14,1 milhões de euros). Esta obra ficará a cargo do consórcio formado entre as empresas DASSALA e Kalipre.

A quarta empreitada aprovada, igualmente incluída no PIP 2014, prevê a reabilitação e expansão do sistema municipal de abastecimento de água potável à população de Quimbele, na província do Uíge. A obra vai custar 1,35 mil milhões de kwanzas (10,7 milhões de euros) e será adjudicada à empresa SINOHYDRO.