O corpo de um dos passageiros do voo da Malaysia Airlines que se despenhou na Ucrânia em julho foi descoberto com uma máscara de oxigénio.

Os factos sobre a descoberta do cadáver do passageiro encontrado com a máscara colocada na cabeça foram revelados pelo chefe da diplomacia holandesa, Frans Timmermans, durante um programa de televisão na Holanda.

Logo após a tragédia que causou a morte aos 298 ocupantes do aparelho das linhas aéreas da Malásia quando sobrevoava a Ucrânia, o ministro holandês, durante um discurso na ONU interrogou-se sobre os últimos sentimentos que os passageiros viveram antes do aparelho se despenhar.

“Nunca o saberemos”, afirmou na altura Frans Timmermans, pelo que o apresentador do programa questionou o membro do Governo sobre se ocultou o facto durante o discurso no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

No programa de televisão, o ministro revelou que um dos passageiros estava com uma máscara de oxigénio e rejeitou o comentário do jornalista, acrescentando que “por agora” nada permite pensar que as vítimas tiveram tempo para se aperceberem do drama.

O voo MH17 despenhou-se no dia 17 de julho no Leste da Ucrânia palco de combates entre as forças governamentais e as milícias separatistas pró-Moscovo.

Os separatistas e o governo da Ucrânia repetem acusações mútuas sobre a responsabilidade na queda do avião comercial.

De acordo com o primeiro relatório do Gabinete de Segurança da Holanda (OVV) encarregado do inquérito, o avião explodiu em pleno voo depois de ter sido atingido por inúmeros projéteis.