O Tesouro português vai emitir até 1.000 milhões de euros num leilão duplo de dívida de curto prazo agendado para quarta-feira, dia 15 de outubro. Será emitida dívida a a três e a nove meses, numa altura em que os juros estão nos valores mais baixos de sempre no mercado.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) confirmou nesta sexta-feira o leilão de bilhetes do Tesouro que estava pré-agendado desde início de setembro. No total, o organismo liderado por Cristina Casalinho pretende obter entre 750 milhões e 1.000 milhões de euros com a emissão de títulos com prazo a três e a nove meses.

“O IGCP, E.P.E. vai realizar no próximo dia 15 de outubro pelas 10h30 dois leilões das linhas de BT [bilhetes do Tesouro] com maturidades em 23 de janeiro de 2015 e 17 de julho de 2015, com um montante indicativo global entre 750 milhões de euros e 1.000 milhões de euros”, informou a agência em comunicado colocado no site.

Os preços no mercado apontam para mais uma descida dos custos, já que a antecipação em torno de mais medidas do BCE está a levar as taxas de juro para mínimos históricos, bem como as taxas interbancárias como a Euribor. No último leilão de dívida a três meses, realizado a 17 de setembro, o Estado colocou os títulos a um preço que pressupõe uma rendibilidade de 0,052%.

Este deverá ser o antepenúltimo leilão de dívida de curto prazo até ao final do ano. Estão já pré-agendadas emissões para os dias 19 de novembro e 3 de dezembro. Além disso, o Tesouro português admite também fazer mais um leilão de dívida de longo prazo (obrigações do Tesouro) depois do realizado na última quarta-feira, 8 de outubro.