Um total de 15 pessoas morreram e outras 14 ficaram feridas num “ataque terrorista”, esta sexta-feira, na região chinesa de Xinjiang, cuja maioria da população é muçulmana. A notícia foi divulgada este sábado pelos media oficiais em Pequim.

Segundo a televisão estatal CCTV, um “grupo de terroristas” atacou civis na região de Shache, causando quatro mortos e 14 feridos. Onze “terroristas” foram mortos a tiro pela polícia. A agência noticiosa oficial Nova China confirmou o balanço, citando um comunicado das autoridades locais.

O ataque ocorreu cerca das 13h30 locais (05h30 em Lisboa) de sexta-feira, quando os atacantes atiraram explosivos e lançaram-se com armas brancas sobre as pessoas que percorriam uma rua comercial, relatou a Nova China. Onze deles foram mortos por polícias que patrulhavam o bairro.

O Xinjiang, uma das cinco regiões autónomas da China, é com regularidade palco de violência devido à tensão entre os han (etnia maioritária na China) e os uigures (muçulmanos turcófonos). As autoridades acusam invariavelmente de terrorismo ou de separatismo os militantes uigures.

O ataque de sexta-feira é o segundo que se regista em 2014 em Shache, depois de outro com as mesmas características no passado dia 28 de julho no qual morreram 96 pessoas — 59 alegados terroristas e 37 civis. Os autores do ataque de julho foram julgados em outubro, tendo o tribunal condenado 58 pessoas, 12 das quais à pena de morte.