Um residente no Condado de Lyon, no estado do Kentucky, nos EUA, estava sossegado, em casa. Até que uma menina, de sete anos, lhe bateu à porta e disse que acabara de vir de um acidente de avião. Assim, de repente. O residente pegou no telefone, marcou o 911 — o número de emergência da polícia norte-americana — e informou as autoridades locais que, em casa, tinha uma criança que sobrevivera a uma queda de avião — que, descobriu-se depois, causou a morte de quatro pessoas.

O acidente terá ocorrido na madrugada de sábado, por volta das 12h55 portuguesas, quando a Federal Aviation Agency (FAA, na sigla inglesa), agência de voo norte-americana, recebeu um pedido de ajuda de uma aeronave, bi-motor, de modelo Piper PA-34. “Pouco depois, o piloto reportou problemas no motor e disse aos controladores aéreos que ia alterar o destino do voo para o aeroporto de Kentucky Dam”, revelou Kathleen Bergen, da FAA, citada pela CNN.

Cerca de 30 minutos após os controladores aéreos receberem o aviso, aparecia a rapariga de sete anos — que apresentava apenas ferimentos ligeiros e foi encaminhada para um hospital.

“Esta rapariga saiu sozinha dos destroços, procurou a casa mais próxima e reportou o acidente”, revelou Dean Patterson, sargento da polícia de Kentucky, a um jornal local. “É um milagre ter sobrevivido, mas é um tragédia terem morrido quatro pessoas”, resumiu, depois.

A aeronave despenhou-se no Kentucky, cerca de 950 quilómetros depois de descolar do estado da Florida.

A aeronave despenhou-se no Kentucky, cerca de 950 quilómetros depois de descolar do estado da Florida.

O aparelho descolara do aeroporto regional de Tallahasse, no estado da Florida, a cerca de 950 quilómetros de Eddyville, cidade no Kentucky situada perto do local onde, noticiou o Daily Mail, a aeronave se despenhou. As autoridades, escreveu a CNN, encontraram nos destroços os corpos de quatro pessoas — Marty e Kimberly Gutzler, de 49 e 45 anos, alegados pais da menina, Piper, irmã de nove anos, e Sierra Wilder, uma prima da família, com 14 anos.

O nome da criança, até ao momento, ainda não foi revelado. O voo, de acordo com a rapariga, dirigia-se para Mount Vernon, no estado do Illinois.