Nos últimos quatro meses, o número de idosos que recebem Complemento Solidário para Idosos tem vindo a subir, mas não o suficiente para evitar a queda acentuada no último ano. Desde novembro de 2013 que há menos 23% a receber esta prestação social, ou seja, menos 52 mil pessoas a receber. Este mês houve uma pequena retoma de 233 prestações.

De acordo com dados da Segurança Social, o número de pessoas com direito a receber o Complemento Solidário para Idosos (CSI) subiu ligeiramente em novembro pelo quarto mês consecutivo, totalizando 172.154 beneficiários, revelam as estatísticas da Segurança Social. Os dados do Instituto de Segurança Social (ISS), atualizados a 2 de janeiro, mostram mais 233 idosos a receberem esta prestação social em novembro, face a outubro, mês em que foram registados 171.921 beneficiários, representando um aumento de 0,13%.

Contudo, comparando com novembro de 2013, observou-se uma quebra acentuada (23%) no número de beneficiários com direito a receber o RSI, passando de 224.184 para os atuais 172.154, o que significa que há menos 52.030 idosos a receberem esta prestação social.

As mulheres representam o maior número de beneficiários, havendo 119.757 a receberam esta prestação, contra 52.397 homens. Os dados, publicados no site do ISS, referem que a maior parte dos idosos reside no Porto (27.070), seguido de Lisboa (24.794) e de Braga (13.258).

O valor do CSI é de 4.909 euros por ano, ou seja 409,08 euros por mês. O Complemento Solidário para Idosos é um apoio em dinheiro pago mensalmente a pessoas com mais de 66 anos, com baixos recursos financeiros.