O piloto português Paulo Gonçalves (Honda) foi penalizado nesta quinta-feira em 15 minutos por mudança de motor na sua moto, ficando praticamente afastado da luta pela vitória no Rali Dakar de 2015. A organização da prova de todo-o-terreno confirmou à agência EFE que o espanhol Joan Barreda, companheiro de equipa do português, lhe cedeu o seu motor na noite passada, após a chegada a Cachi, e que o chileno Jeremías Israel deu o da sua moto ao valenciano.

Com esta penalização, Paulo Gonçalves, que terminou a 11.ª etapa em segundo, a 17 segundos de Barreda, e que se tinha colocado a pouco mais de cinco minutos de Marc Coma (KTM), líder da prova, fica assim a 20.12 minutos do catalão, agora mais próximo do seu quinto triunfo no Dakar, segundo consecutivo.

Joan Barreda foi também penalizado, no seu caso em 45 minutos, por ter mudado de motor pela segunda vez, uma situação que a equipa Honda identifica como sendo danos colaterais do final da primeira etapa-maratona, provocados pela chuva e pelo salitre do Salar de Uyuni.

Na etapa de hoje, entre Salta e Termas de Rio Hondo, na Argenina, Marc Coma não foi além do sexto lugar, mas a penalização de Paulo Gonçalves permitiu-lhe reforçar o comando, a dois dias do final. O português mantém o segundo lugar, à frente do australiano Toby Price (KTM), cujo atraso para Coma é de 31 minutos.

Joan Barreda alcançou o seu quinto triunfo na presente edição, ao completar os 357 quilómetros cronometrados em 2:26.33 horas, com 17 segundos de avanço sobre Gonçalves, enquanto o eslovaco Ivan Jakes foi terceiro, a 1.35 minutos.