O PS exigiu nesta quinta-feira ao Governo que divulgue imediatamente o caderno de encargos da projetada privatização da TAP e considerou este processo “ilegítimo” do ponto de vista democrático, já que condiciona o próximo executivo.

Estas posições foram transmitidas pelo coordenador da bancada socialista para as questões de economia, Rui Paulo Figueiredo, após o Governo ter aprovado em Conselho de Ministros o caderno de encargos do processo de privatização da TAP, no qual se definem os critérios de seleção dos candidatos à aquisição da transportadora aérea nacional.

“Exigimos que o Governo divulgue quanto antes o caderno de encargos. O PS quer apurar se as notícias vindas a público são ou não reais, porque há dúvidas jurídicas a esclarecer. Queremos saber se as salvaguardas são reais ou se são apenas aparentes”, afirmou Rui Paulo Figueiredo, numa alusão a questões como a manutenção de postos de trabalho enquanto o Estado for acionista da empresa e à defesa de interesses estratégicos nacionais.