O ex-presidente do Governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero, que havia prometido não voltar a interferir na vida do PSOE, expressou o seu apoio na quarta-feira a Susana Díaz, atual secretária-geral do partido na Andaluzia.

Depois de pedir lealdade para com Pedro Sánchez, o atual líder socialista eleito nas primárias de julho, Zapatero elogiou o trabalho de Susana Díaz, considerando-a a melhor governante atualmente, sobretudo pela sua “sensibilidade social”, como escreveu o ABC. “Díaz teve a oportunidade de governar e superou a prova de forma marcante. Isso é importante. Pedro Sánchez também será capaz de o fazer, mas teve menos tempo e ainda não teve a responsabilidade de governar, que é algo completamente diferente”, disse, sem acrescentar se ambos os socialistas serão candidatos nas primárias para o lugar de Presidente do Governo, no dia 26 de julho. As eleições gerais em Espanha acontecerão no dia 20 de dezembro deste ano.

O site do jornal ABC nota que este poderá ser mais um problema para Pedro Sánchez, que neste momento enfrenta dificuldades para gerir o PSOE, “que começa a questioná-lo”. Em dezembro, Zapatero reuniu-se com Pablo Iglesias, do Podemos, o “inimigo íntimo” dos socialistas. Pedro Sánchez não terá sido informado do encontro . Dentro do PSOE, a “orfandade” de Sánchez, como refere o ABC, é vista como um problema e tem evitado apoios abertos ao líder para as primárias de julho.