A Grécia tem de “conquistar a confiança” dos parceiros europeus antes de poderem existir negociações sobre a dívida do país. O alerta é do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, que adianta, também, que um novo acordo sobre a dívida grega levará “algum tempo“, contrariando a expectativa do ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, que disse na segunda-feira que um acordo poderia ser obtido numa questão de horas ou dias.

Em entrevista à televisão holandesa RTLZ, nesta terça-feira, o ministro das Finanças da Holanda e presidente do Eurogrupo garantiu: “Quero que a Grécia se mantenha na zona euro“. A par desta declaração, Jeroen Dijsselbloem adiantou que “as negociações com Yanis Varoufakis vão continuar” mas que “vai levar algum tempo” até que possa dar frutos a negociação em curso entre a Grécia e os parceiros europeus.

Na terça-feira, o ministro das Finanças grego disse que poderá haver um acordo “num curto espaço de tempo” e que fará com que fique “perfeitamente claro para toda a gente que a Grécia pode jogar dentro das regras [europeias] e de uma forma que afaste a crise grega de uma vez por todas”.

Vanis Varoufakis afirmou que a reunião com os líderes foi “extremamente construtiva” e “uma lufada de ar fresco”, apesar das diferenças que caracterizam as relações entre o novo governo grego e a União Europeia. “Temo-nos esforçado para encontrar uma base comum e acho que a encontrámos”, disse.

Ainda assim, esta terça-feira, a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que ainda não conhece os planos gregos e que está à espera das propostas do novo primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras.